‘Agricultura do futuro’ poderá produzir alimentos com base na tecnologia RNAi

‘Agricultura do futuro’ poderá produzir alimentos com base na tecnologia RNAi

[Fonte: Vida Rural]

Foi na passada semana que se realizou a terceira edição da conferência anual iPlanta, um evento promovido pelo Centro de Informação de Biotecnologia (CiB) e pelo Laboratório de Biotecnologia de Células Vegetais do ITQB Nova. Em debate esteve o futuro da agricultura e da produção de alimentos, nomeadamente a tecnologia RNAi, da Drozophilla Suzukii, uma mosca da fruta que é responsável pela perda de vários tipos de frutos e que não é possível controlar com pesticidas tradicionais.

Cerca de 120 investigadores, de 26 países, debateram, assim, “as potencialidades do uso de RAN de interferência (RNAi) na agricultura – seja por modificação genética seja por aplicação tópica de moléculas – e divulgaram os aspetos científicos e técnicos desta tecnologia, de forma a se efetivar a sua utilização na proteção das culturas agrícolas contra pragas e doenças.”

Foram ainda apresentadas novas estratégias para a utilização de pequenos RNA ou de RNA de cadeia dupla para o controlo de pragas e doenças em culturas agrícolas, assim como aspetos relacionados com a regulamentação e segurança destas tecnologias e o seu interesse para a atividade agrícola.

Pedro Fevereiro, presidente do CiB, Professor Auxiliar do Departamento de Biologia Vegetal na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e Diretor do Laboratório do Grupo de Biotecnologia Vegetal no ITQB NOVA, sublinha que apesar destas soluções já se encontrarem numa fase de pré-comercialização, os investigadores esperam agora que estas tecnologias não sejam consideradas, na União Europeia, mais arriscadas do que as técnicas convencionais de controlo de pragas e doenças, uma vez que “as biomoléculas em que se baseiam estas tecnologias são ubíquas e degradam-se rapidamente na natureza”.

Para o investigador, “as tecnologias baseadas nestas biomoléculas têm um enorme potencial, não só porque terem uma ação mais específica para as pragas e doenças que se pretende controlar, mas também por serem seguras, quer para os organismos não alvo, quer para o ambiente.”  porque as biomoléculas em que se baseiam estas tecnologias são ubíquas e degradam-se rapidamente na natureza. Além disso, os diferentes organismos, incluindo o Homem, têm uma enorme familiaridade com estas biomoléculas.”

Comente este artigo

O artigo ‘Agricultura do futuro’ poderá produzir alimentos com base na tecnologia RNAi foi publicado originalmente em Vida Rural.

Anterior Reutilização da água na irrigação agrícola deverá aumentar com novas regras europeias
Próximo Un error informático deja sin pastos y con un menor ingreso por el cobro de la PAC a muchos ganaderos

Artigos relacionados

Últimas

Pedrógão Grande: Relatório preliminar de estragos deve estar concluído no sábado

Pedrógão Grande, Leiria, 22 jun (Lusa) – O relatório preliminar dos estragos provocados pelo incêndio de Pedrógão Grande em habitações, na floresta e terrenos agrícolas deverá estar concluído no sábado, disse hoje à agência Lusa o presidente da autarquia local.

Comente este artigo
#wpdevar_comment_4 span,#wpdevar_comment_4 iframe{width:100% !important;} […]

Nacional

Criação de empresas em Portugal aumenta quase 20% e insolvências sobem 7%

[Fonte: Jornal de Negócios]

De acordo com a consultora, filial da Crédito y Caución, o ano arrancou com 6.333 novas empresas constituídas contra as 5.288 criadas em janeiro do ano passado.

Em termos absolutos, o distrito de Lisboa liderou o ‘ranking’ […]

Últimas

Governo dos Açores “convicto” que decisões para a agricultura se vão manter com nova Comissão

[Fonte: Açoriano Oriental]

O secretário regional da Agricultura está “convicto” de que o novo executivo comunitário que venha a resultar das eleições europeias de domingo deverá manter as decisões tomadas em relação ao POSEI e à PAC.

“Estamos convictos que as decisões já […]