Adega Ervideira no Alentejo vende menos mas fecha 2020 com lucro

Adega Ervideira no Alentejo vende menos mas fecha 2020 com lucro

O produtor vitivinícola alentejano Ervideira registou menos 32% das vendas em 2020, face a 2019, mas fechou o ano passado com um lucro de 130 mil euros, apesar da pandemia de covid-19, anunciou hoje a empresa.

“Num ano em que tudo parou e vimos projetos ficarem em ‘standby’, a Ervideira fecha o ano de 2020 com 130 mil euros de lucro”, revelou a empresa, sediada em Vendinha, no concelho de Évora, em comunicado enviado hoje à agência Lusa.

Segundo a Ervideira, cujo negócio depende, em “grande parte”, do canal Horeca (hotéis, restauração e cafés) e das lojas próprias, na adega e abertas em Monsaraz, Évora e Lisboa, o fecho ou paralisação destes canais de escoamento dos vinhos, devido à pandemia, “provocou uma queda de 32% das vendas”, em comparação com 2019.

O “sucesso de 2020” deveu-se, assim, ao “grande exercício de gestão e contenção de custos levado a cabo pela empresa”, justificou.

Para os “resultados positivos, contribuiu ainda o trabalho de vendas dos nossos parceiros habituais, bem como de novos parceiros, como clubes de vinho no Brasil, EUA e Inglaterra”, realçou Duarte Leal da Costa, diretor executivo da empresa.

“Vimos também a produção de álcool gel no período do primeiro confinamento como uma oportunidade de negócio e uma bolha de oxigénio”, acrescentou.

Qualificando 2020 como um “ano atípico e incerto”, o qual “ainda se prolonga” para este ano, a Ervideira argumentou não ter baixado os braços e ter já lançado objetivos para os próximos anos.

“Falamos da construção de painéis fotovoltaicos, suficientes para tornar a empresa autossustentável em matéria de energia 100% verde. Este é um investimento que representa 60 mil euros e que ficará amortizado em cinco anos”, adiantou Duarte Leal da Costa.

Segundo o responsável, a empresa investiu também 300 mil euros “na construção de um armazenamento de água de inverno”, com capacidade para 30 mil metros cúbicos, suficientes para regar o novo projeto de implantação de 18,5 hectares de vinhas, uma área que visa “aumentar a produção de vinhos topo de gama”, revelou.

A Ervideira tem ainda projetada a construção de uma nova adega totalmente virada para os vinhos ‘premium’.

O projeto, a cargo do arquiteto José Maria Leal da Costa, vai envolver um investimento de um milhão de euros e “será seguramente uma adega estratégica”, destacou a empresa.

A Ervideira é uma das empresas vitivinícolas seculares em Portugal, produzindo vinho desde 1880.

Atualmente possui um total de 160 hectares de vinha, distribuídos pelas sub-regiões da Vidigueira (120 hectares) e Reguengos (40 hectares).

Comente este artigo
Anterior AHSA: Associação agrícola de Odemira e Aljezur tem nova imagem
Próximo Live: Fertilização do olival tradicional

Artigos relacionados

Nacional

NEC e Kagome fornecem serviços de inteligência artificial para melhorar produção de tomate

A NEC Corporation acaba de anunciar a conclusão de um acordo de parceria estratégica com a Kagome que tem como objectivo lançar serviços […]

Nacional

Presidente do INIAV: “Desafios que temos pela frente são muito grandes mas também constituem grandes oportunidades”

“Portugal será dos países da União Europeia mais atingido pelas alterações climáticas. Vamos ter de produzir alimentos num contexto em que vamos ter fenómenos mais extremos e […]

Nacional

Contingente de 78 militares vai reforçar vigilância aos fogos florestais

Um contingente de 78 militares vai integrar o dispositivo de vigilância aos fogos florestais a partir desta quarta-feira e por tempo indeterminado, […]