ACOS aumenta resposta às necessidades dos produtores de azeitona e de azeite

ACOS aumenta resposta às necessidades dos produtores de azeitona e de azeite

Com aquisição de novos equipamentos para Laboratório de Química

A ACOS adquiriu recentemente equipamentos para o Laboratório de Química e aumentou a oferta de análises de azeite ao encontro das necessidades dos produtores. Com mais estes equipamentos, passou a ser possível fazer no Laboratório da ACOS uma grande parte das determinações analíticas necessárias à classificação do azeite como virgem extra, virgem ou lampante, categorias definidas em regulamentos comunitários. Estas análises permitem avaliar a qualidade e a pureza do azeite, ou seja, se o azeite produzido tem qualidade adequada à sua comercialização e se não tem misturas com outros óleos vegetais. É também já possível a determinação do teor de componentes antioxidantes naturais relevantes para a saúde, ou seja, de polifenóis totais e de hidroxitirosol, tirosol e oleuropeina em azeitona e azeite.

O laboratório de Química da ACOS tem actualmente disponíveis análises de rendimento e qualidade em azeitona, análises de bagaço de azeitona, de qualidade e de pureza do azeite e ainda análises ao óleo de bagaço de azeitona.

Este tipo de análises permite verificar possíveis problemas na qualidade da azeitona em resultado de falhas durante o processo de produção, transformação e armazenamento, que poderão conduzir a uma desvalorização do azeite produzido, e também problemas de pureza que podem resultar de contaminações acidentais ou de fraudes. As análises disponíveis permitem também a certificação do azeite que se destina à exportação, designadamente para o Brasil.

As análises químicas à azeitona são um instrumento objectivo de apoio ao processo de decisão sobre o momento ideal para a colheita. Permitem a monitorização do rendimento e qualidade das azeitonas ao longo da campanha, bem como a determinação das perdas de azeite no bagaço.

Para assegurar e atestar a qualidade dos resultados do laboratório, a ACOS pediu a acreditação pela norma NP EN ISO/IEC 17025, a qual foi obtida em 2015. A acreditação segundo esta norma é um reconhecimento da competência técnica do Laboratório e obriga a um controlo de qualidade permanente dos ensaios realizados. Este controlo de qualidade implica, entre outros procedimentos, a participação em ensaios de comparação interlaboratorial, nos quais o organizador do ensaio envia uma mesma amostra para vários laboratórios de todo o mundo, comparando e avaliando os resultados obtidos. O laboratório da ACOS participa anualmente em três ensaios – de âmbito internacional – de comparação interlaboratorial ao azeite e em um de azeitona.

Comente este artigo
Anterior Florestas: mudança da gestão dos fundos europeus para o Ambiente divide o sector
Próximo Açores/Eleições: “Gestão empresarial” de matadouros traria ganhos enormes - Iniciativa Liberal

Artigos relacionados

Últimas

Relatório FAO: O Estado da Segurança Alimentar e Nutrição no Mundo 2020

A FAO – Organização de Alimentação e Agricultura das Nações Unidas publicou o Relatório O Estado da Segurança Alimentar e Nutrição no Mundo 2020 (Food Security and Nutrition Around the World 2020), […]

Nacional

Trump e Xi Jinping acordam nova trégua na guerra comercial

Os Estados Unidos e a China acordaram uma segunda trégua ao 359º dia da guerra comercial iniciada a 6 de julho de 2018, […]

Nacional

Logística e embalagem em destaque na Exponor em Setembro

A 18 e 19 de Setembro, a Exponor, em Matosinhos, vai ser palco da quinta edição da “Empack e Transport & […]