Açores com mais 92% de fundos comunitários face a quadro anterior

Açores com mais 92% de fundos comunitários face a quadro anterior

“Em termos globais, e não estando ainda definidos os fundos comunitários referentes à Agricultura e Pescas, que decorre num processo setorial distinto, os Açores já conseguiram assegurar, no total de fundos europeus, um aumento dos 1.618 milhões de euros de que beneficiámos entre 2014 e 2020, para 2.763 milhões de euros no período 2021/2027, ao qual irão acrescer os reforços que venham acorrer nos fundos destinados às Pescas e Agricultura”, afirmou hoje, em conferência de imprensa, o presidente do Governo Regional.

Vasco Cordeiro completou, explicando que “comparando todos os fundos comunitários que estiveram disponíveis para a região no período 2014-2020, com aqueles que vigorarão no período 2021-2027, – assumindo aqui, por precaução, a manutenção dos valores dos fundos afetos às Pescas e à Agricultura (…)”, – os Açores passam de “cerca de 2.112 milhões de euros, para 3.257 milhões” no novo quadro comunitário.

Na componente da Política de Coesão, os Açores recebem mais 9%, num total de 1.359 milhões de euros, sendo a maioria, 1.147 milhões de euros, relativos aos programas FEDER e FSE, enquanto 135,7 milhões de euros vêm do Fundo de Coesão e 76,5 milhões referem-se ao apoio específico para as Regiões Ultraperiféricas.

O chefe do executivo realçou que estas verbas foram negociadas “num contexto mais difícil”, já que, “no âmbito da Política de Coesão, o país passou a ter mais uma região a beneficiar dos mesmos fundos – a Madeira”.

Quanto ao Plano de Recuperação Europeia, “uma parte substancial dos fundos comunitários são afetos a todo o país, beneficiando todas as regiões, independentemente do seu grau de desenvolvimento, sendo o critério de afetação ao país determinado, exclusivamente, pelo valor ‘per capita’”.

Os Açores, seguindo esse critério, teriam direito a “2,37% do total da dotação nacional”, mas conseguiram “mais do que duplicar as verbas a que teriam direito”, caso se aplicasse a distribuição ‘per capita’, “tendo assegurado 6% do total do fundo REACT-EU e 5% do total do IRR [Instrumento de Recuperação e Resiliência] destinado ao país”, indicou.

Assim, foi garantido “um reforço de 117,5 milhões de euros do atual PO Açores 2020, disponibilizado através do novo instrumento financeiro REACT-EU, que permitirá aumentar as dotações FEDER e FSE, entre 2021 e 2023, nesse valor, e incrementar significativamente o investimento previsto para este período”, adiantou o presidente do Governo Regional.

Além da verba afeta ao REACT-EU, o Plano de Recuperação Europeu irá disponibilizar 720,1 milhões de euros, a ser executados entre 2021 e 2026, através do Instrumento de Recuperação e Resiliência (IRR), bem como 198 milhões de euros para a recuperação dos danos causados pelo furacão Lorenzo.

Assim, são 1.035 milhões de euros que entram na região através do Plano de Recuperação Europeu, um “novo fundo” que “visa financiar a implementação de reformas estruturais”.

O governante esclareceu, ainda, que, para o novo Quadro Financeiro Plurianual 2021-2027, as opções de investimento “deverão ser definidas também envolvendo parceiros sociais e partidos políticos, numa fase que, necessariamente, decorrerá após a tomada de posse do novo Governo Regional em funções”.

O artigo foi publicado originalmente em Açoriano Oriental.

Comente este artigo
Anterior Álvaro Amaro inconformado com resposta de Comissário da Agricultura: Janusz Wojciechowski insiste em período de transição da PAC de um ano
Próximo Mais de metade da área agrícola terá de ser certificada em 10 anos

Artigos relacionados

Últimas

Dairy waste is being turned into bioplastics and plant food

The EU produced 172.2 million tonnes of raw milk in 2018 and demand for milk is expected to rise in the coming years, […]

Últimas

“Tem morrido muita gente, é de lamentar, mas há outras doenças que matam muito mais todos os anos, temos de começar a trabalhar para a economia não parar” diz Pres. COTR

Em entrevista à RC, Gonçalo Morais Tristão, Presidente do Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio (COTR), refere a falta de mão de obra que existe […]

Nacional

Mar 2020 aprova 17 projetos da pesca e aquicultura com 8,3 ME de apoio

O programa Mar 2020 aprovou 17 projetos de empresas de transformação de produtos da pesca e aquicultura com um apoio público de 8,3 milhões de euros, num total de 25 milhões de euros de investimento, foi anunciado. […]