A UE e os incêndios florestais

A UE e os incêndios florestais

[Fonte: Rádio Renascença]

Foi esta semana divulgado, em Madrid, que está finalmente operacional o novo mecanismo da UE para apoiar Estados membros a braços com situações de catástrofe, como foram os incêndios florestais em Portugal em 2017 e depois na Grécia.

O novo mecanismo europeu de proteção civil, chamado RescEU, conta agora com 13 meios aéreos (sete aviões e seis helicópteros da Croácia, França, Espanha, Itália e Suécia). Como é natural, Portugal reserva os seus meios para combater os incêndios no país. O RescEU projeta alargar os seus recursos, passando a dispor mais meios aéreos, bombas de água especiais, centros de busca e salvamento, hospitais de campanha e equipas médicas de emergência.

Creio que é uma boa notícia para Portugal, até porque em outubro de 2017 o auxílio europeu falhou clamorosamente. O comissário europeu do setor, Christos Stylianides, pediu desculpa aos portugueses por não ter conseguido encontrar nessa altura meios disponíveis na UE e disse aos jornalistas em Madrid que essa foi “uma das situações mais dolorosas da minha vida”. E recordou a sua “angústia perante as respostas dos ministros europeus (por ele telefonicamente contactados), dizendo que não tinham meios”.

Ao que parece, a UE aprendeu com o falhanço de há dois anos e montou um mecanismo mais credível.

Não compreendo o comentário depreciativo do presidente da Liga de Bombeiros, J. Marta Soares, quanto a este novo dispositivo europeu. Poderá funcionar melhor ou pior, mas será sempre um instrumento adicional de combate a incêndios florestais. Parece que Marta Soares receia, como sempre, que a autonomia dos bombeiros portugueses seja beliscada no teatro de operações. Então o essencial não será o combate eficaz aos fogos?

Comente este artigo

O artigo A UE e os incêndios florestais foi publicado originalmente em Rádio Renascença.

Anterior Portugal vai ter a única fiação de linho puro da Europa
Próximo Herbicidas para milho. UE renova aprovação da substância activa dimetenamida-P

Artigos relacionados

Comunicados

APED aposta na cooperação com fileira da batata

A APED – Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição e a Porbatata – Associação da Batata de Portugal juntam esforços para a promoção do consumo de batata nacional com vista à valorização deste produto junto do consumidor, ao mesmo tempo que estabelecem laços de cooperação para a reorganização do setor, […]

Últimas

Produtores florestais de Proença-a-Nova duvidam da reforma florestal

Proença-a-Nova, Castelo Branco, 07 ago (Lusa) – O presidente da Associação de Produtores Florestais de Proença-a-Nova disse hoje que não acredita na anunciada reforma florestal e adianta que, em 40 anos, já viu muito plano “e nada funcionou”.

Comente este artigo
#wpdevar_comment_5 span,#wpdevar_comment_5 iframe{width:100% !important;} […]

Nacional

Portugal promove a primeira feira internacional para o sector biológico

[Fonte: Revista Frutas Legumes e Flores]
O Portuguese Agrofood Cluster e a AGROBIO vêm divulgar a apresentação da Primeira Feira Internacional para o Sector Biológico – Organic Food Iberia – que decorrerá em duas sessões que terão lugar em Lisboa, no dia 6 de Março no Salão Nobre da Junta de Freguesia do Lumiar, […]