A importância do solo para o futuro da agricultura

A importância do solo para o futuro da agricultura

Já ninguém duvida que o solo é um dos principais elementos da agricultura e da produção de alimentos, senão o mais importante. O solo desempenha 2 funções básicas na agricultura:

  • É a infraestrutura ecológica da maioria das plantas e de quase 100% das culturas agrícolas.
  • É através do solo que as plantas recebem de forma contínua os nutrientes e a água e é no solo que encontram o ambiente gasoso adequado ao desenvolvimento do seu sistema radicular.

A sustentabilidade do solo é crucial para o êxito da agricultura, sem um solo saudável será difícil produzir alimentos de qualidade e em quantidade. É por isso que precisamos de investir a longo prazo nos nossos solos. O que queremos dizer?

A saúde do solo na agricultura

  • Solos com uma boa estrutura e com baixo nível de compactação permitem que o solo funcione de forma equilibrada.
  • Bons níveis de matéria orgânica no solo. Porque são importantes? Significam uma melhor reserva de nutrientes, incrementam a capacidade de troca catiónica, formam quelatos, fornecem energia à atividade dos microrganismos, aumentam a capacidade calorífera e reduzem as oscilações térmicas.

Um solo saudável tem grande influência no crescimento das raízes e, portanto, também na parte aérea da planta. Proporciona melhor alimento à cultura e é uma barreira natural contra impactos extremos de eventos ambientais como a temperatura, o excesso de chuva ou inclusive a escassez de água.

Mas o solo na agricultura tem um papel fundamental não só do ponto de vista agronómico, como também na perspetiva ambiental. Solos saudáveis podem ajudar a proteger a qualidade da água nos ecossistemas agrários, reduzindo o impacto de fatores como a escorrência e a lixiviação. Solos bem geridos podem ajudar a reduzir o risco de os produtos fitofarmacêuticos ou fertilizantes atingirem as águas superficiais ou profundas devido à erosão, à escorrência e, em geral, à deslocação de substâncias solúveis ou dispersíveis.

Suelo en la agricultura

Se tivesse que escolher, diria que a escorrência é o principal fator de degradação dos solos agrícolas nesta parte da Europa, e é aqui que devemos trabalhar mais intensamente enquanto setor. A boa notícia é que a erosão provocada pela escorrência pode ser reduzida até  75 % mediante a implementação de boas práticas na gestão dos solos.

Antes de terminar, gostaria de mencionar também o papel da biodiversidade no solo. É um  aspeto a que damos menos atenção, mas que também devemos cuidar, El suelo en la agricultura y su biodiversidadporque no solo há mais  organismos do que possamos imaginar. Biliões de micróbios descompõem a matéria vegetal, reciclam nutrientes e tornam-os disponíveis para as plantas. Embora também seja importante saber que há muitos outros organismos que podem afetar as plantas, tal como insetos, moluscos, nemátodos, e que têm atividade parasita sobre as mesmas. Não restam dúvidas, promovendo a biodiversidade dos solos teremos um maior leque de organismos que manterão um equilíbrio entre si.

O artigo foi publicado originalmente em Alimentar com inovação.

Comente este artigo
Anterior Algumas reflexões sobre o futuro da agricultura de regadio em tempos de reforma da PAC - Tomás Roquette Tenreiro
Próximo Agricultura perde empregos, mas ganha qualificação

Artigos relacionados

Dossiers

Ministra da Agricultura apresenta a rede de inovação – 22 de setembro

A Ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, e a Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, apresentam, esta terça-feira, dia 22 de setembro, a Rede de Inovação da […]

Últimas

Maria do Céu Antunes: Agricultura “não corre risco” de ter falta de água no verão

Em entrevista ao Negócios e à Antena 1, Maria do Céu Antunes afirma que as reservas de água que existem vão ser suficientes para garantir a atividade agrícola durante o verão. […]

Nacional

Carta a Marcelo

[Fonte: Jornal de negócios]
Há dias, V. Ex.ª, na qualidade de PR, esteve discretamente sentado na plateia de uma sessão onde eu era orador. […]