A floresta é muito mais que um “eterno” armazém de carbono – António Cláudio Heitor

A floresta é muito mais que um “eterno” armazém de carbono – António Cláudio Heitor

É importante recuperar o esforço na plantação de “mais florestas”, mas ainda mais relevante será investir e apoiar quem gere a floresta e o faz com ganhos a nível social, ambiental e económico.

Nestes tempos de novas estratégias, à floresta tem sido entregue o papel de “armazém” de carbono. Penso que ninguém nega essa importância e que tal papel de relevo deveria ser reforçado e compensado.

 

Continue a ler este artigo no Observador.

Comente este artigo
Anterior Promoção de vinhos em mercados de países terceiros - Relatório de execução final e pedido de pagamento - Segunda prorrogação de prazo
Próximo Estudo pretende reabilitar reputação das vespas, demonstrando que são essenciais aos ecossistemas e à saúde

Artigos relacionados

Notícias inovação

The robots weeding organic farms and patrolling for greenhouse pests

Robots that use artificial intelligence to recognise the health of fruit and vegetable crops and when they’re ready to harvest are being […]

Eventos

Conversas de Agricultura na 34ª Ovibeja – 28 de Abril – Beja

A Agrogarante estará presente na 34ª edição da Ovibeja, que vai decorrer de 27 de abril a 1 de maio, no Pavilhão Institucional e Agroalimentar. […]

Nacional

Mais de 190 produtores de queijo DOP admitidos na iniciativa Vale Pastor +

A iniciativa decorrerá até maio de 2020, sendo que durante o seu decorrer os produtores serão sujeitos à verificação mensal da qualidade do leite DOP produzido e do cumprimento das normas dos cadernos de especificações aprovado a nível europeu para cada um dos queijos. […]