45 anos de poder local: o Empreendedorismo Rural

45 anos de poder local: o Empreendedorismo Rural

O empreendedorismo rural é o tema de hoje da parceria Antena 1 / Universidade de Aveiro

Idanha-a-Nova é um dos maiores municípios do país mas tem vindo a perder população. Para inverter esta tendência, a autarquia criou o Recomeçar. Um programa que começou a ser aplicado em 2015 e que se vai prolongar pelo menos até 2025, com o objetivo de captar “novos Idanhenses”, que queiram trocar os grandes centros urbanos pela vida na ruralidade, ajudando na instalação de novas empresas, criando empregos e ajudando a fixar pessoas.

A agricultura é um dos grandes pilares desta estratégia associada à economia verde, com o objetivo de gerar riqueza. A expetativa é chegar aos mil postos de trabalho diretos, associados à inovação da ruralidade, com introdução de tecnologia e atração de talentos. Dois dos maiores investimentos são estrageiros. A reportagem é do jornalista Paulo Braz.

Para debater o Empreendedorismo Rural convidámos o Professor catedrático da Universidade de Aveiro, Artur Rosa Pires. Na sua opinião as áreas rurais têm tido um contributo importantíssimo para a sociedade contemporânea, mas que não tem sido reconhecido. Artur Rosa Pires considera que as universidades têm a sua parte de responsabilidade nesta matéria, ao privilegiarem muito o tecnológico em detrimento do rural, que não pode nem deve ser uma nova caminhada de tendências do passado.

Para este Professor do Departamento de Ciências Sociais, Políticas e do Território da Universidade de Aveiro, a ideia bucólica e romântica de viver no interior não fixa ninguém ao território a longo prazo. O que é preciso é dar qualidade de vida quotidiana a quem se fixa nas zonas rurais: serviços, escolas, internet, cultura, água canalizada, etc.

Artur Rosa Pires não tem dúvidas que a relação entre o rural e o global não tem sido valorizada, elogiou o trabalho que está a ser feito em Idanha-A-Nova, diz que exemplos como este estão a ser replicados noutras zonas do país, mas não têm tido o apoio que merecem. A entrevista é conduzida pela jornalista Cláudia Costa.

O artigo foi publicado originalmente em RTP.

Comente este artigo
Anterior Cotações - Aves e Ovos - 24 a 30 de maio 2021
Próximo Cotações – Coelhos – 24 a 30 de maio 2021

Artigos relacionados

Últimas

Sessão técnica “O Souto: Um negócio de futuro?” – 18 de fevereiro – Chaves

No próximo dia 18 de fevereiro, a Delegação Distrital de Vila Real, organiza a sessão técnica “O Souto: Um negócio de futuro?”. […]

Últimas

Historiador aponta “contradição insanável” entre parque e rega no Sudoeste Alentejano

O sudoeste alentejano, onde um parque natural foi colocado sobre uma zona de agricultura intensiva, sofre de uma “contradição insanável”, considera o historiador António Quaresma […]

Opinião

Os Insultos aos Agricultores e à Agricultura – José Eduardo Gonçalves

Sou agricultor há mais de 40 anos e tenho muito orgulho e vaidade em ser a 5.ª geração de uma família (o meu filho já é a 6.ª), que quer do lado materno, quer do lado paterno, se tem […]