Vila Velha de Ródão exige ao Governo “atuação mais eficaz” na central termoelétrica

Vila Velha de Ródão exige ao Governo “atuação mais eficaz” na central termoelétrica

A Assembleia Municipal de Vila Velha de Ródão aprovou, por unanimidade, uma moção exigindo ao Governo uma “atuação mais eficaz”, em termos ambientais, em relação à central termoelétrica da Bioenergy.

“Se todas as empresas deste País são obrigadas a cumprir, porque não cumpre a Centroliva? Será necessário haver alguma fatalidade para as autoridades atuarem de forma clara e inequívoca? Será que a exclusiva preocupação das nossas autoridades começa e acaba no rio Tejo, provavelmente porque chega ao Terreiro do Paço?”, questionam os deputados municipais no documento a que a agência Lusa teve hoje acesso.

A moção apresentada pela bancada do Partido Socialista, na Assembleia Municipal de Vila Velha de Ródão, na sexta-feira, teve o consenso de todos os deputados municipais e apela ao ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, “que contribua para a salvaguarda da saúde” da população do concelho e “exige uma atuação mais eficaz por parte das autoridades com competência na matéria”.

Em causa está o funcionamento da central de produção de energia elétrica a partir de biomassa florestal e de bagaço de azeitona pertencente à Bioenergy, Bioe – Sociedade de Produção de Energia, S.A., empresa que tem sido alvo de várias iniciativas desencadeadas pelo município de Vila Velha de Ródão nos últimos anos, nomeadamente, diligências junto do Governo, com o objetivo de resolver os “graves problemas de poluição atmosférica” que se verificam no concelho.

Recentemente, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) propôs o “encerramento provisório” da central termoelétrica da Bioenergy, em Vila Velha de Ródão, após a realização de uma inspeção extraordinária às instalações da empresa.

Os deputados municipais de Vila Velha de Ródão desafiam, no documento aprovado, João Pedro Matos Fernandes a “ser também nosso ministro do Ambiente”.

A Assembleia Municipal desta vila do distrito de Castelo Branco esclarece que não é seu objetivo, o encerramento de empresas e sublinha que a moção defende e exige apenas o “respeito por quem cá vive [Vila Velha de Ródão]”.

“A população local vive há longos e penosos anos de agonia e sofrimento com impacto direto na sua saúde, devido ao comportamento irresponsável e absolutamente impune por parte da empresa Centroliva, que de incumprimento em incumprimento, de inspeção em inspeção, de providência cautelar em providência cautelar, de encerramento em encerramento, de coima em coima, consegue continuar a laborar criando a ilusão de que está a cumprir aquilo que lhe é exigido”, conclui o órgão autárquico.

Comente este artigo
Anterior Homologadas 30 candidaturas para estudos e projetos de melhoria das condições de segurança de barragens
Próximo ENRD publica Newsletter de fevereiro 2021

Artigos relacionados

Nacional

Seminário sobre os GO de Investigação Aplicada ao Sobreiro

O Centro de Competências do Sobreiro e da Cortiça (CCSC) irá promover no próximo dia 30 de maio (14h30-17h00), integrado na edição 2019 da FICOR – […]

Blogs

Politécnico de Coimbra reforça aposta na floresta em parceria com Florestgal

Teve hoje lugar a assinatura de um protocolo de colaboração entre o Politécnico de Coimbra (IPC) e a Florestgal, uma empresa pública de gestão e desenvolvimento florestal, que intervém […]

Sugeridas

Oferta de emprego – Agricultor Biológico (M/F) – Quinta do Vale da Lama

Estamos à procura de um agricultor que assuma o compromisso de produzir produtos frescos e biológicos para servir os nossos clientes de Agro Turismo e que esteja empenhado no desenvolvimento de uma CSA (agricultura de suporte local e comunitária) /negócio para mercado de produtos hortícolas.