Viabilizar e rentabilizar ao máximo as explorações dos seus membros. Objetivo n.º 1 da Bioprodutores

Viabilizar e rentabilizar ao máximo as explorações dos seus membros. Objetivo n.º 1 da Bioprodutores

A Bioprodutores é um Cluster de produtores em modo biológico, devidamente certificados, no qual os membros têm acesso a vários serviços, sendo o mais relevante o assegurar o escoamento dos produtos, produzidos de acordo com as normas e orientações previstas no plano de produção e a preços justos.

Mas, não menos importantes são os serviços de orientação e aconselhamento técnico, fundamentais para a prossecução de objetivos tão vitais como, por exemplo, o baixar dos custos de produção.

“É um projeto simples, que pretende ser uma mais valia para produtores bio nacionais e certificados, criando uma solução que permita ultrapassar dificuldades e garantir viabilidade e rentabilidade às suas produções”, assegura Daniel Queirós, diretor executivo da BioProdutores.

Questionado sobre quais as principais metas que a BioProdutores se propõe atingir, o responsável explica que o primeiro objetivo consiste em viabilizar e rentabilizar ao máximo as explorações agrícolas  dos seus membros, por via de um conjunto de normas e orientações previstas no regulamento. Entre outros, esses objetivos visam baixar os custos de produção ou a divulgação de conhecimento atualizado relativo à área da produção em modo biológico. Em segundo lugar, aumentar o reconhecimento e a oferta de produtos alimentares produzidos em modo biológico e devidamente certificados como tal, de origem nacional, em quantidade, qualidade e diversidade, respondendo assim, à necessidade crescente do mercado consumidor deste tipo de produtos. Por fim, o objetivo é apostar numa oferta diferenciada ao mercado com produto nacional todo o ano assim como produto fresco com o máximo de 1 a 2 dias após colheita. Objetiva também a defesa e promoção de variedades regionais e nacionais, uma produção personalizada à necessidade dos clientes, assim como experimentação de novas culturas que sejam do interesse dos consumidores (…).

Daniel Queirós recorda que as manifestações de interesse para aderir à BioProdutores começaram logo após o evento de lançamento oficial do Cluster (setembro). Entretanto há um processo até que a adesão efetiva à BioProdutores se concretize mas é com otimismo que olha para as 20 adesões já confirmadas, reforçando que se trata de um projeto em evolução.
E, embora a sede do projeto seja no Norte do país, a intenção da organização é implementar a BioProdutores, como referência da produção nacional, em modo biológico. Trata-se de produto nacional, de produtores nacionais, espalhados pelo território continental e insular.

A iniciativa de criação da BioProdutores parte da BioCheers, empresa produtora e comercializadora de alimentos produzidos em modo bio, certificada, que opera no mercado nacional e em mercados externos (Chile, Argentina, Peru, Brasil, França, Alemanha, Holanda, Suíça, Espanha, Portugal, Inglaterra, Dubai, Koweit, Abu Dabi, Qatar, Singapura, Hong Kong e Malásia – de momento). Assim, o esforço comercial é da responsabilidade da BioCheers, que no projeto desempenha as funções comerciais, garantindo o escoamento das produções planeadas dentro do Cluster. “Desta forma consegue-se maior eficácia e maior controlo de custos, tendo como resultado maior rentabilidade para todos”, conclui.

Distribuição da área em MPB por tipo de cultura, em Portugal continental (2017).

Fonte: DGADR

Nos últimos anos a área em Modo de Produção Biológico apresentou uma evolução positiva, situando-se nos 252 812 hectares (2017). As pastagens continuam a ser o setor mais representativo com 58% do total.

Para ler na íntegra na Revista Voz do Campo, na edição passada n.º 231 (novembro 2019).

O artigo foi publicado originalmente em Voz do Campo.

Comente este artigo
Anterior Açores avança com plano de acção da agricultura e florestas para fazer face às alterações climáticas
Próximo PAN faz 150 propostas de alteração ao OE 2020. Quer fitofarmacêuticos com IVA de 23%

Artigos relacionados

Últimas

Seminário Parceria portuguesa para o Solo “Linhas Orientadoras para a Gestão Sustentável do Solo” – 20 de Novembro 2017 – Oeiras

A Parceria Portuguesa para o Solo (PPS) e a Sociedade Portuguesa da Ciência do Solo (SPCS) tomam a iniciativa de realizar no dia 20 de Novembro próximo o Seminário “Gestão Sustentável do Solo em Portugal – Linhas de Orientação”, […]

Nacional

Apetro quer ser mais “verde” e critica discriminação aos combustíveis fósseis

A Associação Portuguesa de Empresas Petrolíferas (Apetro) defende a criação de um preço único de carbono evitado para todos os setores energéticos, […]

Cotações ES

Los precios del aceite de oliva se mantienen, pese a la escasez de virgen extra

Los precios en origen del aceite de oliva se han mantenido sin apenas cambios. Según fuentes de Oleoestepa los precios, […]