Vendas da Adega de Ponte da Barca/Arcos de Valdevez crescem 20% em 2020

Vendas da Adega de Ponte da Barca/Arcos de Valdevez crescem 20% em 2020

As vendas da Adega Cooperativa de Ponte da Barca e Arcos de Valdevez, no distrito de Viana do Castelo, cresceram 20% em 2020, face ao ano anterior, impulsionadas pela exportação, foi hoje divulgado.

Em comunicado enviado às redações, a propósito da apresentação pública do novo conselho de administração da Adega Cooperativa de Ponte da Barca e Arcos de Valdevez eleito, em abril, para os próximos quatro anos, a Adega cooperativa daqueles dois municípios adiantou que “em ano de pandemia as vendas cresceram 20%, impulsionadas pela exportação”, sendo que conseguiu “ampliar os “destinos de exportação para 32 países”.

Entre os principais mercados externos contam-se os Estados Unidos da América, o Brasil, o Equador, a Polónia e a Rússia.

A Adega Cooperativa de Ponte da Barca e Arcos de Valdevez tem “um volume de negócios próximo dos seis milhões dos euros”, o que representou “um aumento nesse mesmo volume de negócios de 110% nos últimos cinco anos”.

“Entre 2015 e 2020 o volume de negócios cresceu 110%”, frisa a adega, dando conta que, no trimestre deste ano, as exportações atingiram 75% do negócio.

Na segunda-feira, na apresentação do novo conselho de administração da Adega Cooperativa de Ponte da Barca e Arcos de Valdevez, o recém-eleito presidente, Rui Folha, apresentou “as perspetivas de crescimento e as decisões estratégicas para os próximos anos”, entre elas a valorização dos colaboradores, da uva de forma a promover a produção de qualidade e a captar as melhores uvas da região, da Inovação e Tecnologia e a deslocalização da adega.

Em janeiro de 2019, a anterior direção da Adega Cooperativa de Ponte da Barca e Arcos de Valdevez anunciou a intenção de construir novas instalações, a cerca de um quilómetro das atuais, e calculou em cinco milhões de euros o investimento necessário para aquela empreitada.

A entrega dos terrenos pela Câmara de Ponte da Barca deverá concretizar-se em breve.

A nova adega ficará num terreno situado em Vila Nova de Muía, incluirá ainda “uma forte vertente de enoturismo”, algo hoje inexistente, e “parte da sua construção será financiada por fundos comunitários”.

Com perto de mil associados, a Adega de Ponte da Barca, constituída em 1963, iniciou atividade em 1968.

Tem “um património vitícola num território atravessado pelos rios Lima, Vade e Vez”.

Atualmente possui cerca de 1.000 associados, que representam uma área de 900 hectares de vinha, nos concelhos de Ponte da Barca e Arcos de Valdevez, com as duas principais castas da região dos Vinhos Verdes: Loureiro (branca) e Vinhão (tinta).

Na sessão pública de apresentação do novo conselho de administração foi ainda homenageado Amândio Lago, que agora cessa funções, ao fim de 16 anos na presidência da Adega e quase 20 anos como membro dos seus corpos sociais.

Comente este artigo
Anterior Newsletter de maio 2021 da Global Soil Biodiversity Initiative
Próximo A Chegada dos Sorraias ao Grande vale do Côa

Artigos relacionados

Sugeridas

Castanha de Vinhais está atrasada e pode ser bom para a produção

A campanha da castanha está atrasada no concelho transmontano de Vinhais, um dos maiores produtores nacionais, o que pode ser bom para a produção este ano, […]

Sugeridas

Copa and Cogeca forecast a historically low wine harvest for 2021/2022

After a year of challenging climatic conditions in southern Europe, the 2021/22 wine harvest is forecasted to be significantly lower and shorter compared to the previous marketing year. […]

Últimas

Exportações do Vinho com Crescimento Assinalável no Primeiro Semestre do Ano

As exportações dos vinhos portugueses tiveram, no 1º semestre de 2021, um comportamento muito positivo, registando um assinalável acréscimo […]