Uniões de OPP preocupadas com decisões sobre o futuro da saúde e bem-estar animal baseadas na mediatização e não em fundamentação técnica e científica

As Uniões de Organizações de Produtores Pecuários (OPP) de todo o País, responsáveis pela execução no terreno do Plano Nacional de Saúde Animal, emanado da Regulamentação Europeia, receiam a destruição do conhecimento e da experiência acumulada ao longo dos anos pela Autoridade Veterinária Nacional, DGAV.

Face ao anúncio pelo Ministério da Agricultura de retirada de competências à Direção Geral de Alimentação e Veterinária, estas organizações consideram perigosa e extemporânea, e sem ter sido sujeita a qualquer debate prévio, qualquer decisão que vá no sentido de desconcentrar ações relacionadas com a área animal.

A experiência que as Uniões de OPP têm de trabalho conjunto com a DGAV, há várias décadas, leva-as a recear consequências negativas na operacionalidade e eficiência do serviço, penalizando todo o setor animal, quer do ponto de vista sanitário, quer do de bem-estar, quer mesmo do económico.

Da análise que as Uniões fazem das mudanças organizacionais em discussão parece-nos que o reforço de meios humanos, materiais e financeiros da Autoridade Veterinária Nacional seriam a principal medida a adoptar para a resolução de muitos dos problemas que agora estão a ser mediatizados, mas que há muito foram já identificados.

Todos sabemos das dificuldades com que se confrontam diariamente as OPP e os Serviços centrais e regionais da DGAV de modo a responder às exigências de um setor cada vez mais dinâmico e fundamental para o País.

Em suma, as Uniões de OPP estão seriamente preocupadas com as transferências de serviços e de competências da DGAV anunciadas, realizadas de forma pouco refletida e fundamentada e que poderão afetar o normal funcionamento das ações de saúde e bem-estar animal, apenas para dar resposta a uma mediatização crescente de um problema que tem como causa principal a perda progressiva e ao longo de muitos anos de meios humanos e materiais daquela estrutura do Estado e que agora poderá conduzir à delapidação de um património centenário de conhecimento e em prol do bem comum do setor animal em Portugal.


As Uniões de OPP:

De Entre Douro e Minho;

Da Beira Litoral;

Da Beira Interior;

Do Ribatejo;

Do Alentejo.

Comente este artigo
Anterior ANEB estupefacta com posição da Ministra da Agricultura
Próximo ENRD Newsletter - Julho 2020

Artigos relacionados

Comunicados

PRIMA – Parceria para a Investigação e Inovação na Região Mediterrânica | Abertura de concursos de 2019

Os concursos para projetos de investigação PRIMA abriram a 17 de dezembro de 2018 e dividem-se em duas «secções»:
Os concursos «Section 1» […]

Nacional

Mais de uma centena de concelhos em risco máximo de incêndio

Mais de uma centena de concelhos de 14 distritos de Portugal continental apresentam hoje um risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). […]

Nacional

Avaria no principal furo de captação de água afeta ilha de Santa Maria

“O principal furo de captação de água que se localiza na freguesia de Almagreira está inoperacional neste momento devido a avaria da bomba. […]