Trump diz que está na altura de um acordo comercial EUA/União Europeia

Trump diz que está na altura de um acordo comercial EUA/União Europeia

O Presidente dos EUA acrescentou que a UE tem imposto “incríveis barreiras alfandegárias” e pediu aos membros da comunidade para abrir mais os mercados aos produtos norte-americanos, especialmente na área agrícola.

O Presidente dos EUA, Donald Trump, disse esta segunda-feira que está na altura de negociar um acordo comercial com a União Europeia (UE), apelando aos europeus para abrirem os seus mercados a produtos norte-americanos. Perante um impasse nas negociações entre a UE e os EUA, Donald Trump e a presidente da Comissão Europeia, Úrsula Von der Leyen, anunciaram em janeiro o desejo de relançar uma nova rota de comércio transatlântico e concluir um acordo comercial, a breve prazo.

“A Europa trata-nos muito mal”, disse Trump, perante uma plateia de governadores de estados, na Casa Branca, queixando-se de “um enorme ‘défice'” nas relações com Bruxelas “nos últimos 10 ou 12 anos”. Não é a primeira vez que Trump se queixa do que considera ser um desequilíbrio nas relações comerciais entre os EUA e a UE, tendo recentemente ameaçado impor tarifas adicionais a importações europeias, no setor automóvel, em retaliação a medidas da Comissão Europeia contra empresas norte-americanas.

Esta segunda-feira, o Presidente dos EUA acrescentou que a UE tem imposto “incríveis barreiras alfandegárias” e pediu aos membros da comunidade para abrir mais os mercados aos produtos norte-americanos, especialmente na área agrícola. No encontro com Von der Leyen, em janeiro, à margem da cimeira do Fórum Económico Mundial, em Davos, Trump disse que estas dificuldades impeliam um novo acordo comercial entre os dois blocos, dizendo que gostaria de o finalizar rapidamente.

O Presidente norte-americano explicou que o atraso nas negociações se deve ao facto de se ter concentrado prioritariamente nas relações comerciais com a China, o Japão e a Coreia do Sul. “Não quero fazer tudo ao mesmo tempo”, explicou Trump. Desde o início do ano, o comissário europeu do Comércio, o irlandês Phil Hogan, já esteve em Washington por duas vezes, para reunir com o seu homólogo norte-americano, Robert Lightizer, tentando encontrar soluções para o impasse.

Von der Leyen também deve ir a Washington em breve, para uma reunião que pode levar à assinatura de uma espécie de “declaração política”, como a que foi concluída em julho de 2018 entre Donald Trump e o ex-presidente da Comissão Jean-Claude Juncker. Na altura, os dois líderes promteram negociar dois acordos: um destinado a abolir os direitos aduaneiros sobre bens industriais, o outro para eliminar certas barreiras não-tarifárias ao comércio por meio de cooperação regulatória.

As discussões sobre bens industriais não avançaram desde então, mas os norte-americanos já fizeram saber que gostariam de incluir a agricultura no escopo do acordo, ao qual os europeus se opõem. As negociações com Bruxelas ocorrem ao mesmo tempo que Trump tenta lançar um novo acordo comercial com o Reino Unido, na sequência do ‘Brexit’, prometendo ser um parceiro privilegiado dos britânicos.


O artigo foi publicado originalmente em Sábado.

Comente este artigo
Anterior CAP lamenta falecimento de Álvaro Barreto, ministro responsável pela aplicação da Política Agrícola Comum em Portugal
Próximo Esporão apoia a campanha “Agroambientais sem glifosato/herbicidas”

Artigos relacionados

Últimas

IRRIGANTS d’EUROPE- nova associação europeia nasce para defender a importância do regadio na produção de alimentos e no desenvolvimento rural

A FENAREG e as suas congéneres de Espanha, de Itália e de França juntaram-se hoje em Bruxelas para a apresentação oficial da associação IRRIGANTS d’EUROPE, […]

Cotações PT

Cotações – Cereais – Informação Semanal – 11 a 17 Março 2019

Análise SIMA – Sistema de Informação de Mercados Agrícolas
Milho grão forrageiro
Em Portugal, na campanha 2018-2019, a área semeada com milho de regadio aumentou cerca de 5%, […]