Trinta e seis por cento do continente em seca severa e extrema

Trinta e seis por cento do continente em seca severa e extrema

De acordo com índice meteorológico de seca (PDSI) disponível no ‘site’ do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), no final de outubro houve um desagravamento da situação de seca meteorológica nas regiões do Norte e Centro e na região sul mantinha-se a seca meteorológica.

O relatório indica que a 31 de outubro 33,5% do continente estava em seca moderada, 31,9% em seca severa, 17,5% seca fraca, 6,8% normal, 6% em chuva fraca e 4,3% em seca extrema.

No final de setembro, 48,4% de Portugal continental estava em seca moderada, 32,7% em seca severa, 15,4% em seca fraca e 3,4% em seca extrema.

O instituto classifica em nove classes o índice meteorológico de seca, que varia entre “chuva extrema” e “seca extrema”.

De acordo com o IPMA, existem quatro tipos de seca: meteorológica, agrícola, hidrológica e socioeconómica.

A seca meteorológica está diretamente ligada ao défice de precipitação, quando ocorre precipitação abaixo do que é normal.

Depois, à medida que o défice vai aumentando ao longo de dois, três meses, passa para uma seca agrícola, porque começa a haver deficiências ao nível da água no solo.

Se a situação se mantiver, evolui para seca hidrológica, quando começa a haver falta de água nas barragens. Existe também a seca socioeconómica, que é considerada quando já tem impacto na população.

Além do índice de seca, o resumo do Boletim Climatológico do IPMA, indica também que o mês de outubro se classificou como normal em relação à temperatura do ar e seco em relação à precipitação.

De acordo com o instituto, o valor médio da temperatura máxima do ar (22,42 graus Celsius) foi superior ao valor normal e o valor médio da mínima (11,08 graus) foi inferior ao normal.

O IPMA adianta também que o valor médio da quantidade de precipitação em outubro corresponde 81% do valor normal mensal.

“De destacar que apesar do valor total mensal em Portugal continental ser inferior ao normal verificou-se uma forte variabilidade espacial da distribuição da precipitação”, é referido.

O instituto indica que os valores registados em grande parte do nordeste foram superiores ao normal e na região sul foram inferiores.

Durante o mês de outubro, verificou-se que até dia 12 não ocorreu precipitação no continente e a partir de dia 13 foram registados valores significativos nas regiões do litoral norte e centro, em particular nos dias 14 e 19.

O boletim do IPMA adianta também que no final do mês verificou-se um aumento dos valores de percentagem de água no solo relativamente a setembro, tendo sido mais significativo em alguns locais das regiões do norte e centro.

Nas regiões do noroeste os valores estão, segundo o IPMA, “muito próximos ou iguais à capacidade de campo”.

Nas regiões do Vale do Tejo, do Alentejo e Algarve os valores de percentagem de água no solo continuavam no final de outubro inferiores a 20%.

Continue a ler este artigo no SAPO 24.

Comente este artigo
Anterior Bruxelas aprova o armazenamento privado de azeite
Próximo Lançamento do filme - Os olivais tradicionais do Baixo Alentejo: Um habitat único a conservar - 12 de novembro - Lisboa

Artigos relacionados

Nacional

Conselho Regional é momento importante para encontrar as melhores soluções para a agricultura, afirma João Ponte

João Ponte falava à margem do encontro que reuniu em Ponta Garça, no concelho de Vila Franca do Campo, cerca de quatro dezenas de conselheiros de todas as ilhas para apoiar o titular da pasta da Agricultura na formulação das linhas gerais de ação nos setores da sua competência, […]

UE - Instituições e EM

CAP transitional regulation: informal deal on how to fund farmers

The Council concluded today an informal deal with the European Parliament on how to extend current CAP rules until the end of 2022 and disperse the extra €8.07 billion of the European […]

Eventos

20 anos de AFBV: Os desafios do associativismo florestal – 4 de dezembro – Albergaria-a-Velha

Os desafios do associativismo florestal vão estar em debate no próximo dia 4 de dezembro, pelas 18h00, na Biblioteca Municipal de Albergaria-a-Velha. […]