Trinta e cinco concelhos de oito distritos em risco máximo de incêndio

Trinta e cinco concelhos de oito distritos em risco máximo de incêndio

Trinta e cinco concelhos dos distritos de Faro, Portalegre, Castelo Branco, Coimbra, Viseu, Guarda, Santarém e Bragança apresentam hoje risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Em risco máximo de incêndio estão os concelhos de São Brás de Alportel, Tavira, Castro Marim, Alcoutim (Faro), Marvão, Nisa, Gavião (Portalegre), Abrantes, Sardoal e Mação (Santarém), Vila Velha de Ródão, Vila de Rei, Proença-a-Nova, Oleiros, Penamacor e Covilhã (Castelo Branco) e Carregal do Sal, Mangualde, Penedono e Tabuaço (Viseu).

Também em risco máximo de incêndio estão os concelhos de Seia, Sabugal, Guarda, Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Trancoso, Figueira de Castelo Rodrigo, Meda, Vila Nova de Foz Coa e Pinhel (Guarda), Oliveira do Hospital e Tábua (Coimbra), Torre do Moncorvo, Vila Flor e Vimioso (Bragança).

O IPMA colocou também vários concelhos de todos os distritos de Portugal continental, com exceção de Viana do Castelo e Porto, em risco muito elevado e elevado de incêndio.

De acordo com o instituto, o risco de incêndio vai continuar máximo, muito elevado e elevado pelo menos até ao fim de semana em vários distritos de Portugal continental.

Este risco de incêndio determinado pelo IPMA tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo, sendo o elevado o terceiro nível mais grave.

Os cálculos para este risco são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Na segunda-feira, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) alertou para o agravamento do risco de incêndio até sexta-feira para valores “muito elevados a máximos” em todo o território, com o aumento da temperatura e a diminuição da humidade.

Num “aviso à população” ANEPC refere que, de acordo com informações do IPMA, até sexta-feira a temperatura vai subir, variando entre os 30 e os 35 graus, podendo atingir valores superiores no interior (39).

O IPMA destaca que o valor da humidade relativa do ar diminuirá para entre 20% e 30% e mesmo durante a noite não se registarão valores superiores a 50%, inclusivamente no litoral.

O vento deverá ser fraco a moderado, temporariamente com rajadas fortes, até 40 quilómetros por hora.

Por causa das condições meteorológicas, a ANEPC recorda que durante o período crítico de incêndios, entre 01 de julho e 30 de setembro, é proibido fazer queimadas extensivas ou queima de amontoados sem autorização, não é permitido utilizar fogareiros e grelhadores nas zonas críticas do espaço rural, nem fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.

A ANEPC recomenda ainda “a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente através da adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, na utilização do fogo em espaços rurais, observando as restrições em vigor e tomando especial atenção à evolução do perigo de incêndio para os próximos dias”.

O IPMA prevê para hoje em Portugal continental céu pouco nublado ou limpo e vento fraco a moderado do quadrante norte, sendo de sudoeste no sotavento algarvio durante a tarde, soprando moderado a forte na faixa costeira ocidental a sul do Cabo Carvoeiro e nas terras altas até ao início da manhã e durante a tarde.

A previsão aponta ainda para a possibilidade de formação de neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais do litoral Centro e subida da temperatura máxima, exceto na costa sul do Algarve, que será acentuada em algumas regiões do Norte e Centro.

As temperaturas mínimas no continente vão oscilar entre os 11 graus Celsius (em Coimbra) e os 18 (em Faro) e as máximas entre os 25 (em Aveiro) e os 34 (em Évora, Beja, Santarém e Castelo Branco).

O artigo foi publicado originalmente em SAPO 24.

Comente este artigo
Anterior Se o mundo aquecer dois graus, os Verões serão mais extremos
Próximo “Turbovacas” alemãs: uma “distopia” genética em nome da eficiência industrial?

Artigos relacionados

Nacional

A Madeira vai pôr robôs a detectar incêndios na floresta

A Madeira está a desenvolver um sistema de detecção de incêndios florestais, pioneiro em Portugal, que assenta numa rede de robôs totalmente automatizados, […]

Internacional

Plant growth ‘on/off’ switch could help safeguard crop yields as farmers battle climate change

New research from UC Riverside identifies a protein that controls plant growth — good news for an era in which crops can get crushed by […]

Ofertas

Oferta de emprego – Enólogo Estagiário – Minho

A Quinta de Amares – Vinicultura, Lda, empresa sediada na Região dos Vinhos Verdes, procura Enólogo (a) / Enólogo (a) Estagiário (a). […]