Saiba quando fazer as operações florestais

Saiba quando fazer as operações florestais

O Calendário Anual da Gestão Florestal é uma importante ferramenta de planeamento da atividade silvícola em povoamentos de eucalipto.

Sabe quanto deve aplicar a adubação de manutenção na produção florestal? E que idade deve ter o povoamento para tirar o melhor proveito dessa operação silvícola? E durante quanto tempo deve ser feito o controlo de pragas e doenças no eucaliptal? A resposta a estas e outras questões relativas às operações na floresta encontra-se no Calendário Anual da Gestão Florestal, mapa da atividade silvícola que a “Produtores Florestais” oferece com a edição n.º 3 da revista, mas que também pode consultar aqui.

Esta ferramenta de consulta identifica as operações que normalmente se realizam ao longo do desenvolvimento de uma produção florestal de eucalipto, e qual o período recomendado na atividade florestal de acordo com a idade de cada povoamento. O calendário apresenta ainda o período de risco acrescido para algumas operações, tendo em conta restrições como, por exemplo, risco de incêndios florestais, ocorrência de geadas ou baixa humidade do solo para plantar, mas não contempla as alterações do clima que condicionam a realização das operações florestais.

O início de um ciclo de produção florestal de eucalipto pode ser feito por rearborização ou exploração em talhadia. A rearborização permite maximizar a produção de madeira de eucalipto, utilizando a melhor planta e boas práticas silvícolas. Já a talhadia é uma oportunidade de redução do custo de produção de madeira e rentabilização do investimento inicial de rearborização, sempre que os povoamentos de eucalipto se encontrem em condições para tal, ou seja, com baixa mortalidade de toiças e boa rebentação natural.

Lembre-se sempre que nos trabalhos florestais deve utilizar boas práticas e equipamentos de proteção individual, e respeitar as indicações das fichas de produtos e a legislação aplicável.

O artigo foi publicado originalmente em Produtores Florestais.

Comente este artigo
Anterior Açores: Boleiro destaca importância do setor primário para a sustentabilidade económica, social e ambiental da Região
Próximo Webinar: Recursos Genéticos Animais - Valorização das zonas de montanha - 8 de janeiro

Artigos relacionados

Sugeridas

Iniciativa Liberal acusa Ministério da Agricultura de perder influência

Em entrevista ao jornal Público, a 12 de Dezembro de 2020, o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, afirmou que o seu Ministério irá receber 1.500 milhões de euros referentes a pagamentos diretos do primeiro pilar da […]

Nacional

Lesados pelos javalis vão ao Ministério da Agricultura. Querem indemnizações

Os agricultores continuam a dizer que os prejuízos provocados pela população descontrolada de javalis são elevados.
Por isso, delegações de agricultores, […]

Nacional

Syngenta lança novo fungicida para o olival

A Syngenta acaba de lançar no mercado nacional o Amistar Top, uma nova solução de proteção do olival contra o Olho-de-Pavão. […]