Sabe quais os sectores de actividades compatíveis com a aquacultura na Ria Formosa?

Sabe quais os sectores de actividades compatíveis com a aquacultura na Ria Formosa?

A aquacultura continua em desenvolvimento em Portugal, com regras ambientais apertadas. Mas é uma actividade que é compatível com outros sectores de actividade, como a apanha, a extracção de sal, o turismo, a educação ambiental e a investigação.

Para ajudar os empresários a investirem de forma sustentável, o projecto Aqua&Ambi, que tem como beneficiário principal o IPMA – Instituto Português do Mar e da Atmosfera, publicou os resultados da “Actividade 1 – Criação de sistema de informação geográfica (SIG) para as áreas húmidas e de produção aquícola na zona costeira do Alentejo, Algarve e Andaluzia”.

O estudo incidiu sobre duas áreas concretas, a Ria Formosa, em Portugal, e, a Baía de Cádiz, em Espanha. A análise teve por base os diferentes estabelecimentos de aquacultura marinha existentes, com diferentes sistemas de produção (extensivo, extensivo melhorado, semi-intensivo e intensivo), onde se aplicou uma metodologia baseada em SIG para se determinar, em primeiro o lugar, o grau de interesse para o desenvolvimento da aquacultura marinha.

Em segundo lugar, as actividades que, para além da aquacultura, se podem desenvolver nessas áreas, tais como a apanha, a extracção de sal, o turismo, a educação ambiental e a investigação, e por último, o nível de convergência dessas actividades, destacando quais as áreas com maior potencial de desenvolvimento económico tanto para a Ria Formosa como para a Baía de Cádiz. Todo este trabalho teve em consideração a legislação relativa à protecção ambiental existente nos dois países.

Em resumo, estes documentos, para além de estabelecerem uma metodologia inovadora de análise aplicável a diversas áreas de estudo do projecto e de outras regiões onde seja necessário gerir o desenvolvimento de actividades económicas sustentáveis com o meio ambiente, “constituem uma ferramenta crucial para uma gestão sustentável das zonas húmidas do litoral do Sudoeste Ibérico, valorizando o potencial económico endógeno das regiões”, realça o IPMA.

Pode consultar os documentos na página do Projecto Aqua&Ambi, aqui.

Projecto Aqua&Ambi

O Projecto Aqua&Ambi — de apoio à gestão das zonas húmidas do litoral do Sudoeste Ibérico: interacções entre aquacultura e meio Ambiente na região transfronteiriça Alentejo-Algarve-Andaluzia —, tem como objectivos reforçar os mecanismos transfronteiriços para a manutenção e recuperação da biodiversidade e dos serviços do ecossistema na Rede Natura 2000 Alentejo-Algarve-Andaluzia e a promoção e o uso de metodologias e sistemas de produção ecológicos apropriados a zonas húmidas protegidas.

Por outro lado, pretende avaliar esses sistemas e metodologias para melhorar o estado de conservação das áreas costeiras, aumentar as zonas reabilitadas e a sua rentabilidade e contribuir para uma gestão mais eficiente destas áreas com especial ênfase no aumento do conhecimento e na transferência de tecnologia.

Outro dos objectivos passa por desenvolver uma rede chave de investigadores de Portugal e de Espanha, com valências complementares, para melhorar sistemas de produção estratégicos e economicamente sustentáveis.

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior Incêndios: Termina prazo para limpar terrenos após prorrogação devido à pandemia. GNR vai fiscalizar
Próximo PAN quer alimentos com rótulos obrigatórios de “custo do impacto ambiental associado à sua produção”

Artigos relacionados

Últimas

Negotiations for the EU budget: the agreement will wait until 2020

Posted on 25/11/201925/11/2019

Whether only three of them meeting in an informal way or all gathered in the Council of the EU, […]

Últimas

Alterações climáticas: o que acontecerá à produção mundial de banana?

Os efeitos das alterações climáticas poderão prejudicar significativamente a produção de banana em sete dos países que mais exportam a nível mundial. […]

Últimas

Edição de genoma em debate na Feira Nacional de Agricultura

As Novas Técnicas de Melhoramento de plantas, como a edição de genoma, vão marcar a manhã do dia 11 de junho na Feira Nacional de Agricultura, […]