Sabe onde foram usados os fundos do Portugal 2020?

Sabe onde foram usados os fundos do Portugal 2020?

Empresas, escolas, estágios, bolsas, centros de saúde… São muitos (14 mil) os projetos apoiados pelo Portugal 2020. Saiba quais.

Dos 25,79 mil milhões de euros que Portugal tem disponíveis até 2020 já foram colocados a concurso 57%, ou seja, 14,7 mil milhões de euros (excluindo os 2,4 mil milhões destinados a estratégias de desenvolvimento territorial), revela o último relatório trimestral do Portugal 2020, referente a 31 de março.

Ou seja, já foram abertos 1.355 concursos, sendo que já só estão 190 abertos neste momento. Então o que é que isto significa em termos práticos no terreno? Significa, por exemplo que já foram apoiadas 12 mil empresas, das quais mil são novas ao nível dos sistemas de incentivos. O domínio da competitividade e internacionalização conta já com cerca de 5,3 mil milhões de euros disponibilizados para financiamento de investimentos.

Por outro lado, há mais de 1,4 mil milhões de euros aprovados no âmbito do sistema de educação. O mesmo relatório revela que os apoios aprovados nas áreas da educação ascendem a 12% do total e da ciência a 9% dos fundos aprovados. Isto reflete-se, por exemplo, no apoio a 66 mil bolsas.

Estes projetos determinam que os pagamentos do Fundo Social Europeu tenham registado um acréscimo de 215 milhões de euros no primeiro trimestre. O que faz deste fundo aquele que regista o segundo maior aumento em termos de pagamentos. O primeiro é o Feder com um aumento de 318 milhões de euros de pagamentos. O domínio do emprego viu aprovados projetos no valor de 750 milhões de euros que foram usados, por exemplo, para financiar mais de 45 mil estágios.

Ao nível do território, os fundos ajudaram a intervir em mais de 48 quilómetros de costa ou mais de 100 quilómetros de rede contra os incêndios. Os fundos aprovados no domínio da sustentabilidade e eficiência no uso de recursos ascendem a 1,2 mil milhões de euros.

Finalmente, de destacar as verbas usadas ao nível da agricultura. Do investimento executado, o desenvolvimento rural é aquele que regista a maior concentração com 1.162 mil milhões de euros.

Comente este artigo
Anterior France wheat stocks trimmed to three-year low
Próximo Obrigado! Manuel Évora – Editorial Teresa Silveira+Suplemento Agrovida

Artigos relacionados

Últimas

A Concentração que a CNA promoveu, a 8 de Novembro, junto à Assembleia da República reforça reclamações para melhorar a proposta do Governo de OE para 2019.

A proposta do Governo para o Orçamento do Estado (OE) para 2019 regista uma redução efectiva de 116 milhões de Euros comparativamente com o aprovado para 2018, uma redução superior a 8%, o que é inaceitável.
Esta é uma proposta de OE para 2019 que não defende a Produção Nacional em Bens Agro-Alimentares e Florestais e não serve o nosso Mundo Rural. […]

Comunicados

O sector agrícola no OE 2019: apreciação global no debate na especialidade

Análise ao sector agrícola no OE 2019, de apreciação global no debate na especialidade, que poderá ser complementada com a visualização das intervenções da Deputada Patrícia Fonseca
Este OE é uma oportunidade perdida para o sector agrícola – parece que reforça as verbas mas afinal não é bem assim…
OE2019: CDS quer saber quando estará em funcionamento a empresa de gestão florestal
Alterações climáticas: Portugal tem necessidades de água para além do regadio
OE2019: CDS quer alterações ao regime contributivo para agricultores e incentivos ao trabalho de jovens
→Consulte aqui a Análise sobre OE2019←

Comente este artigo
#wpdevar_comment_5 span,#wpdevar_comment_5 iframe{width:100% !important;} […]

Sugeridas

1º Congreso Ibérico del Maíz – 13 y 14 de febrero – Lisboa (ES)

El maíz es uno de los principales cultivos herbáceos de la Península Ibérica y ocupa un área que ronda las 600 mil hectáreas.
Los innumerables retos que afrontan los productores ibéricos hacen del intercambio de estrategias una prioridad que importa potenciar en beneficio de la competitividad de la agricultura de nuestros dos países. […]