Representantes da ADACO, da CNA, da AMAVIM, e da Comissão Inter-Concelhos na audiêcia da DRAPC

Representantes da ADACO, da CNA, da AMAVIM, e da Comissão Inter-Concelhos na audiêcia da DRAPC

Comissão dos afetados pelos incêndios em 2017, vai reunir com DRAPC para saber respostas ao caderno de reclamações, entregue no dia 28 de Novembro

Até hoje, os representantes da ADACO, da CNA, da AMAVIM,  e da Comissão Inter-Concelhos ainda não receberam qualquer resposta relativamente ao  caderno de reclamações entregue na DRAPC aquando da manifestação do dia 28 de Novembro.

Assim no próximo dia 13 de Dezembro de 2017, Quarta-Feira pelas 15H00, representantes da ADACO, da CNA, da AMAVIM,  e da Comissão  Inter-Concelhos dos afectados  pelos incêndios de 15 e 16 de Outubro estarão na Delegação de Coimbra da DRAPC sita na Av. Fernão de Magalhães, para serem recebidos em audiência.

Pretendemos  saber que respostas existem  em concreto  em relação ás nossas reclamações, e  das medidas tomadas ou a tomar de apoio aos afectados pelos incêndios entre Julho e Outubro de 2017  nomeadamente no que toca á agricultura e à floresta.

Comente este artigo
Anterior Formação Financiada: Higiene e Saúde em Bovinicultura
Próximo PAC 2020: En tiempos de creciente incertidumbre y cambio climático, es imprescindible un cambio profundo de la Política Agrícola Común

Artigos relacionados

Sugeridas

A luta da Monsanto para defender o glifosato

[Fonte: Público]
A empresa Monsanto tem feito vários esforços para conseguir ver prolongado o uso da substância que está na base do seu famoso herbicida Roundup: o glifosato – que tem vindo a ser associado em vários estudos a possíveis efeitos cancerígenos. […]

Nacional

António Almeida reuniu com secretário geral da CAP

O deputado do PSD/Açores António Almeida reuniu, em Lisboa, com o secretário geral da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), Luís Mira, […]

Nacional

“Tenho ouvido acusações ao olival completamente estapafúrdias”, diz Ministro da Agricultura em entrevista ao jornal Publico e à Rádio Renascença

O ministro da Agricultura garante que, dentro de quatro anos, se conhecerão os proprietários e os limites das propriedades do país. […]