Queijos de Portugal 2017: ANIL promove concurso com inscrições abertas até 04 de Outubro

Queijos de Portugal 2017: ANIL promove concurso com inscrições abertas até 04 de Outubro

Os dados estão lançados….

A Associação Nacional dos Industriais de Lacticínios (ANIL) já anunciou a data do Concurso ‘Queijos de Portugal 2017’. A 9.ª edição acontece nos dias 12 e 13 de Outubro, nas instalações da ALS Controlvet / Fullsense, em Tondela, e as inscrições já estão abertas. Os fabricantes de queijo em Portugal que queiram participar nesta iniciativa terão de se inscrever até 04 de Outubro.

A competição deste ano aumenta para 21 as categorias de queijos a concurso. ‘Queijo Fresco Atabafado’ é a categoria introduzida pela ANIL na edição deste ano.

A cerimónia de anúncio e entrega de prémios está agendada para a tarde de segunda-feira, dia 30 de Outubro, estreando-se na FIL – Parque das Nações (Pavilhão 4), em Lisboa, ao integrar o programa oficial da primeira edição do ‘Grandes Escolhas – Vinhos & Sabores’, evento que se realiza de 27 a 30 do próximo mês.

Com o objectivo primordial de fomentar o desenvolvimento da indústria e de melhorar o posicionamento dos queijos portugueses no mercado e, ao mesmo tempo, reforçar o reconhecimento deste produto junto do consumidor, a ANIL apresentou este desafio em 2009, já com a atribuição, por categoria a concurso, do galardão “Melhor Queijo” com o respectivo ano, ao vencedor, e da Menção Honrosa, aos restantes dois finalistas.

É de salientar que na primeira edição apresentaram-se a concurso 57 marcas, inseridas em 4 categorias (Flamengo, Ovelha, Cabra e Mistura). Sete anos volvidos, ou seja, na edição de 2016, já noutro formato, o desafio contou com a participação de 59 empresas (27 associadas e 32 não associadas da ANIL), 20 categorias e 206 queijos a Concurso, o que denota a importância que tem vindo a granjear no panorama nacional, em grande parte justificada pela sua comprovada credibilidade e isenção. Para 2017, as expectativas da organização consiste em atingir as 65 empresas inscritas e 220 marcas a concurso, isto é, obter um crescimento de 10%.

O sucesso do Concurso ‘Queijos de Portugal’ ganha força graças à qualidade do painel de jurados que envolve uma avaliação objectiva e técnica por parte de provadores especialistas com formação específica, representando o sector queijeiro, entidades da administração pública com ligação às vertentes agroalimentar, gastronómica e de distribuição, imprensa e consumidores.

No âmbito da participação neste Concurso, é necessário preencher a documentação disponível no site da ANIL

→Consulte aqui a documentação necessária←

Para mais informações, basta ligar para o 222 001 229 ou solicitar por fax, através do 222 056 450, ou do email anilca@mail.telepac.pt.

O desafio ‘Queijos de Portugal 2017’ conta com o Alto Patrocínio do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural e do Governo Regional dos Açores.

 

 

Comente este artigo
Anterior 10 mil toneladas de maçã adquiridas a produtores nacionais
Próximo Mação avança com queixa contra chefe da Protecção Civil

Artigos relacionados

Últimas

Número de mortos nos incêndios sobe para 41, bebé está vivo

Os incêndios florestais no norte e centro do país fizeram 41 mortos, segundo a adjunta nacional de operações Patrícia Gaspar. A mulher que estava desaparecida foi entretanto encontrada sem vida.

Comente este artigo
#wpdevar_comment_2 span,#wpdevar_comment_2 iframe{width:100% !important;} […]

Últimas

Qualidade dos vinhos portugueses vai ser avaliada no Concurso Vinhos de Portugal

[Fonte: Voz do Campo]
A qualidade dos vinhos portugueses vai ser avaliada no Concurso Vinhos de Portugal 2019 por um painel de jurados nacionais e internacionais de renome. Entre os especialistas que se estreiam nesta iniciativa da ViniPortugal destaca-se Thomas Vaterlaus, […]

Nacional

Novo bloco de rega de Reguengos de Monsaraz “vai transformar a região”

[Fonte: Tribuna Alentejo] José Calixto, presidente do Município de Reguengos de Monsaraz está convicto que o novo Bloco de Rega de Reguengos de Monsaraz, um investimento superior a 30 milhões de euros, vai “transformar a região com benefícios incalculáveis para a agricultura e particularmente  para a nossa viticultura”. […]