Queijos de Portugal 2017: ANIL promove concurso com inscrições abertas até 04 de Outubro

Queijos de Portugal 2017: ANIL promove concurso com inscrições abertas até 04 de Outubro

Os dados estão lançados….

A Associação Nacional dos Industriais de Lacticínios (ANIL) já anunciou a data do Concurso ‘Queijos de Portugal 2017’. A 9.ª edição acontece nos dias 12 e 13 de Outubro, nas instalações da ALS Controlvet / Fullsense, em Tondela, e as inscrições já estão abertas. Os fabricantes de queijo em Portugal que queiram participar nesta iniciativa terão de se inscrever até 04 de Outubro.

A competição deste ano aumenta para 21 as categorias de queijos a concurso. ‘Queijo Fresco Atabafado’ é a categoria introduzida pela ANIL na edição deste ano.

A cerimónia de anúncio e entrega de prémios está agendada para a tarde de segunda-feira, dia 30 de Outubro, estreando-se na FIL – Parque das Nações (Pavilhão 4), em Lisboa, ao integrar o programa oficial da primeira edição do ‘Grandes Escolhas – Vinhos & Sabores’, evento que se realiza de 27 a 30 do próximo mês.

Com o objectivo primordial de fomentar o desenvolvimento da indústria e de melhorar o posicionamento dos queijos portugueses no mercado e, ao mesmo tempo, reforçar o reconhecimento deste produto junto do consumidor, a ANIL apresentou este desafio em 2009, já com a atribuição, por categoria a concurso, do galardão “Melhor Queijo” com o respectivo ano, ao vencedor, e da Menção Honrosa, aos restantes dois finalistas.

É de salientar que na primeira edição apresentaram-se a concurso 57 marcas, inseridas em 4 categorias (Flamengo, Ovelha, Cabra e Mistura). Sete anos volvidos, ou seja, na edição de 2016, já noutro formato, o desafio contou com a participação de 59 empresas (27 associadas e 32 não associadas da ANIL), 20 categorias e 206 queijos a Concurso, o que denota a importância que tem vindo a granjear no panorama nacional, em grande parte justificada pela sua comprovada credibilidade e isenção. Para 2017, as expectativas da organização consiste em atingir as 65 empresas inscritas e 220 marcas a concurso, isto é, obter um crescimento de 10%.

O sucesso do Concurso ‘Queijos de Portugal’ ganha força graças à qualidade do painel de jurados que envolve uma avaliação objectiva e técnica por parte de provadores especialistas com formação específica, representando o sector queijeiro, entidades da administração pública com ligação às vertentes agroalimentar, gastronómica e de distribuição, imprensa e consumidores.

No âmbito da participação neste Concurso, é necessário preencher a documentação disponível no site da ANIL

→Consulte aqui a documentação necessária←

Para mais informações, basta ligar para o 222 001 229 ou solicitar por fax, através do 222 056 450, ou do email anilca@mail.telepac.pt.

O desafio ‘Queijos de Portugal 2017’ conta com o Alto Patrocínio do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural e do Governo Regional dos Açores.

 

 

Comente este artigo
Anterior Concurso Queijos de Portugal 2017 recebe inscrições até 4 de Outubro
Próximo Câmara de Mação considera relatório da ANPC sobre o fogo como “insatisfatório”

Artigos relacionados

Últimas

Luís Souto Barreiros coordena novo grupo de trabalho de cereais

Lisboa, 26 jun (Lusa) — O engenheiro Luís Souto Barreiros vai coordenar o grupo de trabalho que deverá propor uma “estratégia nacional e o plano de ação para a promoção do desenvolvimento da cultura dos cereais”, segundo um despacho publicado hoje em Diário da República.

Comente este artigo […]

Últimas

Investigadores nacionais criam materiais compósitos ‘verdes’ para a indústria

[Fonte: Vida Rural]
Um grupo de investigadores das Universidades de Coimbra (UC) e Aveiro (UA) e do Instituto Politécnico de Leiria (IPL) juntou-se para criar uma solução para o plástico não biodegradável e para os resíduos gerados pela indústria da madeira, […]

Nacional

Investimento da Jerónimo Martins em aquacultura ronda 10 milhões

[Fonte: Jornal De Negócios]

Questionado sobre o investimento na área da aquacultura, o gestor afirmou que “neste momento é ainda um investimento muito baixo, na ordem dos 10 milhões de euros”.
No entanto, esta é uma das áreas de aposta do grupo de retalho em Portugal. […]