Produção agrícola da Sovena “tem desperdício zero”

Produção agrícola da Sovena “tem desperdício zero”

João Basto, diretor de sustentabilidade da Sovena, revelou os objetivos sustentáveis que a empresa quer cumprir até 2023, bem como as medidas para reaproveitar todas as “sobras” agrícolas.

Desde o olival ao lagar, até ao embalamento e distribuição, o grupo Sovena trata de todos os processos associados à cadeia de valor do azeite. Por essa razão, as práticas sustentáveis estão no topo das prioridades da empresa que, atualmente, garante que já tem uma produção agrícola com zero desperdício.

Em entrevista ao ECO/Capital Verde, João Basto, diretor de sustentabilidade da Sovena, revelou algumas das metas da nova estratégia de sustentabilidade da empresa, a cumprir até 2023, e ainda explicou como a intensificação da agricultura favorece práticas mais amigas do ambiente.

O responsável garante que reduzir o plástico virgem nas embalagens das marcas da Sovena é uma das principais preocupações da empresa, no entanto, ressalvou que o acesso ao plástico reciclado pode ficar condicionado pela crescente procura deste material.

A Sovena está, agora, a finalizar o seu relatório de sustentabilidade, que irá refletir alguns dos objetivos já fechados para 2025, como 28% do plástico utilizado ser plástico reciclado.

No que diz respeito às embalagens, quais são as principais mudanças sustentáveis que têm vindo a fazer neste âmbito?

Um dos objetivos para alcançar a sustentabilidade é, justamente, a meta de redução até 2025 de 31% no consumo de plástico virgem, do qual 28% pela incorporação de plástico reciclado. Este é um processo que iniciámos em 2021, com a incorporação de 20% nos produtos Fula e de 20% nos produtos Oliveira da Serra. Ao mesmo tempo, arrancámos com negociações com os nossos clientes para uma inclusão crescente nas garrafas das suas marcas. Mas há mais mudanças que queremos implementar, entre as quais aumentar a reciclabilidade das nossas garrafas de plástico, através da redução da quantidade de pigmento que temos vindo a concretizar.

Já reduzimos até 40% e 50% do pigmento nas nossas marcas Fula e Oliveira da Serra, respetivamente, e ambicionamos até 2025 fazê-lo em todas as garrafas verdes e amarelas produzidas na Sovena. Em relação ao papel, comprometemo-nos a aumentar o cartão proveniente de sistemas florestais geridos de forma sustentável – nomeadamente através da certificação FSC. Dos 35% utilizados atualmente, queremos passar para 55% em 2023. Em paralelo, temos apostado numa procura permanente por novos materiais de embalagem, com menor pegada de carbono, e que, ao mesmo tempo, sejam compatíveis com a preservação de óleos alimentares.

Ambicionam que todas as embalagens de plástico da Sovena sejam feitas com PET 100% reciclado? Quanto tempo ainda vai demorar para para cumprirem esse requisito?

O nosso objetivo passa por incorporar até 2025 mais de 3000 toneladas de PET reciclado nas nossas embalagens, o que equivale, concretamente, a 50% do peso nas nossas marcas e a uma média de 30% nas marcas dos nossos clientes – uma meta que definimos em função do que nos pareceu ser a nossa capacidade de acesso a esta matéria-prima. […]

Continue a ler este artigo no ECO.

Comente este artigo
Anterior Curso EIT Food: A Revolução na Agricultura Regenerativa - 26 a 28 de outubro - Ourique
Próximo Cotações - Cortiça - 5 a 11 de julho 2021

Artigos relacionados

Sugeridas

Investigadores concluem que eucalipto pode ajudar a prevenir risco de incêndios

Investigadores da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP) concluíram que o eucalipto tem propriedades herbicidas que ajudam a prevenir o risco de incêndios e a reduzir os […]

Nacional

GO FitoAgro aprofunda conhecimento sobre Cochonilha Algodão

O dia aberto do Grupo Operacional FitoAgro vai ter lugar no dia 3 de outubro, no auditório da Frutus, no Peral, […]

Dossiers

Reverter renda forçada de terrenos só pagando melhorias

Regime do arrendamento forçado de terrenos já foi publicado, mas falta o diploma que fixa valores. Primeiras áreas integradas aprovadas este mês. […]