Praxe solidária da Católica: 300 caloiros preparam-se para apanhar 4 toneladas de restolho

A Agromais – Entreposto Comercial Agrícola e a Agrotejo — União Agrícola do Norte do Vale do Tejo, no próximo dia 4 de Setembro, na Golegã, vão acolher pelo quinto ano consecutivo, 300 caloiros da Católica Lisbon School of Business & Economics, em mais uma acção do Projecto Restolho.

Aqueles 300 caloiros preparam-se para ultrapassar o conseguido no ano passado: mais de 4 toneladas de restolho que serão entregues aos Bancos Alimentares.

Projecto Restolho

O Projecto Restolho enquadra-se na estratégia de uma agricultura sustentável que visa conciliar a actividade agrícola com a biodiversidade e a sustentabilidade dos recursos existentes, integrado no objectivo de promover o combate ao desperdício alimentar.

Assim, o Dia Solidário da Católica Lisbon, que tem como objectivo integrar os novos alunos no ambiente académico, envolvendo-os e partilhando os valores fundamentais que estão na base da cultura da universidade, adere uma vez mais ao Projecto Restolho.

Criado sob o mote “uma segunda colheita para que nada se perca”, lançado no ano 2013, pela Agromais e a Agrotejo, em parceria com a Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome (FPBACF) e a EntrAjuda, o Projecto Restolho tenta fazer a ponte entre os produtos hortícolas que ficam nos campos e os Bancos Alimentares da região onde se inserem estas organizações de produtores.

Reduzir o desperdício alimentar

Como objectivo para além da distribuição de alimentos a famílias carenciadas pretende-se assim, ver reduzido o desperdício alimentar na actividade agrícola.

Desde o seu início este projecto já recebeu mais de 4.000 voluntários, entre empresas, escolas, universidades e colheu cerca de 90 toneladas de produtos hortícolas nomeadamente, abóbora, alho, cebola, couves, batata, fava, melão, tomate entre outros, que por serem perecíveis, não são habitualmente doados nas campanhas de recolha apesar da sua importância na alimentação.

Estima-se que Portugal perde anualmente cerca de um milhão de toneladas de alimentos produzidos para consumo humano.

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior PEI-AGRI destaca inovação de produtor português na secagem de aromáticas
Próximo ICAAM publica Livro de Resumos das Jornadas MED

Artigos relacionados

Comunicados

Entidades Destinatárias das Retiradas de Mercado

As Organizações de Produtores de frutas e produtos hortícolas reconhecidas, com um Programa Operacional aprovado e em execução, […]

Nacional

Decreto-Lei n.º 127/2019 introduz alterações na aplicação de fundos europeus

[Fonte: Rede Rural Nacional] Foi publicado em Diário da República o Decreto-Lei n.º 127/2019, de 29 de agosto, […]

Sugeridas

Em 2018, 65% da superfície do Continente era ocupada por área florestal e agrícola

Em 2018, quase dois terços (65%) da superfície do Continente era ocupada por área florestal e agrícola, registando as regiões Centro e Norte as […]