Portugal participa em Estudo na ”Arca de Noé Mundial”

Portugal participa em Estudo na ”Arca de Noé Mundial”

O Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV) integra um estudo a realizar na Arca de Noé Mundial – Svalbard Seed Vault no Polo Norte, que visa avaliar viabilidade e qualidade de sementes durante os 100 anos de duração desta experiência.

Portugal participa através do Banco Português de Germoplasma Vegetal (INIAV), juntamente com 5 outros países: a Índia (ICRISAT), a Suécia (NordGen), a Alemanha (IPK), a Tailândia (NRSSL) e o Brasil (Embrapa).

Este estudo enquadra-se na conservação e valorização dos recursos genéticos nacionais, fundamental para a valorização dos territórios e dos produtos portugueses, que é uma das áreas prioritárias da Agenda de Inovação para a Agricultura 2030. Vão ser estudadas populações de milho originárias de diferentes regiões do país: Viana do Castelo, Viseu, Coimbra, Portalegre.

Comente este artigo
Anterior Capacidade das plantas para absorver dióxido de carbono pode vir a baixar para metade – estudo
Próximo Cerca de 43 milhões de hectares de florestas importantes perdidos em 13 anos – WWF

Artigos relacionados

Últimas

InnovPlantProtect revela agenda de atividades no Encontro Ciência2020

Professor Pedro Fevereiro, CEO do InnovPlantProtect
O InnovPlantProtect esteve presente no Encontro Ciência 2020, que decorreu nos dias 3 e 4 de novembro no Centro de Congressos de Lisboa em formato híbrido (presencial e online). […]

Nacional

Árvores no meio das lavouras reduzem a incidência de doenças e pragas

A ideia dos sistemas agrossilvopastoris não é nova, mas começa a ter cada vez maior implementação em sistemas de produção intensivos. Para além da óbvia promoção da biodiversidade, a redução da […]

Últimas

Luxemburgo recusa apoiar acordo com Mercosul se Brasil não proteger a Amazónia

“O Luxemburgo não pode apoiar a assinatura do acordo [entre a União Europeia e o Mercosul, constituído por Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai] se o Brasil não se preparar para respeitar as suas obrigações relativamente ao Acordo de Paris, […]