Portugal assina protocolo de cooperação para exportação com China

[Fonte: Governo] O Governo português assinou, em Lisboa, um protocolo para o reforço da cooperação com a República Popular da China, com o objetivo de harmonizar procedimentos e agilizar os processos de internacionalização.

Depois de ter aberto o mercado da China para a carne de suíno nacional, a área governativa da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, está a agora a trabalhar intensamente nos mercados da pêra rocha, da uva de mesa e dos citrinos.

De acordo com o comunicado enviado por esta área governativa as negociações encontram-se já numa fase bastante adiantada, estando também agendada uma visita de uma missão técnica chinesa, a Portugal, em agosto. 

A área governativa da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural tem apostado fortemente no desenvolvimento da relação comercial com a China, tendo desencadeado um conjunto de processos de abertura de mercados cuja negociação está agora em curso. 

Além da pêra rocha e das uvas de mesa, Portugal está igualmente a negociar os citrinos, as maçãs, o arroz, os kiwis, os pêssegos, as nectarinas e as ameixas, o mel, a carne de aves, a carne de ovino e de bovino, os ovos de incubação e os pintos do dia, cavalos e produtos derivados da carne de suíno.    

O comunicado refere ainda que Portugal tem com a China uma balança comercial positiva no setor agroalimentar, exportando um montante anual global de 150 milhões de euros e que existem condições para «fazer crescer a favor da produção nacional».

«A China é um mercado interessante para Portugal não só pela sua dimensão de milhões e milhões de consumidores, mas também pela apetência do próprio mercado» referiu o Ministro, acrescentando que aquele país «procura produtos que se diferenciem pela qualidade e por elevados padrões de segurança alimentar, o que é manifestamente o caso da produção nacional». 

O comunicado diz ainda que Luís Capoulas Santos aposta na simplificação de procedimentos «através do estabelecimento de canais bem articulados, que permitam melhorar os contactos e acelerar a capacidade de resposta das autoridades nacionais».

Comente este artigo
Anterior Incêndio florestal em Valença mobiliza quatro meios aéreos
Próximo “Não agir não é opção”, diz ministro do Ambiente em conferência sobre alterações climáticas

Artigos relacionados

Cotações ES

Escasa operatividad en el mercado del aceite de oliva


En los precios en origen del aceite de oliva predominaron las repreticiones a lo largo de la semana. […]

Nacional

“Quem teima em investir no interior tem de assumir a dose de loucura”

Fundador do projeto Casas do Côro, que colocou Marialva no mapa, secretário da assembleia-geral da Agência Regional de Promoção Turística Centro de Portugal, […]

Sugeridas

“Considere os Factos”: campanha para consciencializar portugueses para a importância do setor agrícola

A segunda edição da campanha ‘Considere os Factos’ está em marcha. Trata-se de uma ação que pretende consciencializar os portugueses para a importância do setor agrícola e combater alguns mitos […]