Portugal 2020 tem execução de 47%. Fundos aprovados financiam investimentos de 41 mil milhões

Portugal 2020 tem execução de 47%. Fundos aprovados financiam investimentos de 41 mil milhões

No último ano do quadro comunitário, ainda não foram executados metade dos 25,8 mil milhões de euros que o país tem para investir. Ritmo de execução tem de acelerar nos próximos três anos.

O Portugal 2020 tinha, no final do primeiro trimestre, uma taxa de execução de 47%, mais 2,4 pontos percentuais face a dezembro de 2019. Isto significa que será necessário executar 53% dos 25,8 mil milhões de euros até 2023.

De acordo com o boletim trimestral do Portugal 2020, divulgado esta quinta-feira, foram aprovados apoios de 24 mil milhões de euros do atual quadro comunitário, que financiaram investimentos de 41,2 mil milhões de euros. A maior dos fundos aprovados (37%) destina-se às empresas — domínio da competitividade e internacionalização — “sendo que os apoios às PME são mais significativos”, “com cerca de 20% do total dos fundos aprovados, seguido dos domínios do capital humano com 17% e do desenvolvimento rural com 16%, do total dos fundos aprovados”.

Também em termos de fundos comprometidos, as empresas lideram com uma taxa de compromisso de 116%. No conjunto do quadro comunitário, essa taxa, que traduz as verbas já atribuídas a um projeto, mas que ainda não foram contratadas, é de 93%. O boletim revela que, em termos de compromisso, foram apoiadas mais de “15 mil empresas nos diversos sistemas de incentivos, mais de seis mil empresas apoiadas em ações de internacionalização ou mais de 41 mil trabalhadores apoiados em ações de formação em contexto empresarial”.

Por outro lado, já foram pagos aos beneficiários 13 mil milhões de euros, o que representa 50% da dotação total dos fundos do Portugal 2020, com especial destaque para as empresas (4.125 milhões de euros), agricultores (2.664 milhões) e capital humano (2.616 milhões). É precisamente o domínio do capital humana (escolas, formação profissional, bolsas, etc) que apresenta a mais elevada taxa de execução com 65% das verbas que lhe foram destinadas executadas.

Até ao final do primeiro trimestre foram lançados a concurso 26,6 mil milhões de euros, o que representa 103% do total de fundos programados no
Portugal 2020. Ou seja, o quadro já está a funcionar em overbooking para compensar eventuais quebras posteriores. Até final de março foram abertos 3.474 concursos sendo que a maioria se destinam às empresas, ao desenvolvimento rural e à inclusão social e emprego.

O artigo foi publicado originalmente em ECO - fundos comunitários.

Comente este artigo
Anterior IFAP: Pagamentos Abril 2020
Próximo PDR2020: Beneficiários afetados pelos efeitos da pandemia podem dar por concluídos os projetos de investimento contratados

Artigos relacionados

Últimas

França. Vitivinicultores regressam ao passado para preservar biodiversidade

Integrar nas vinhas animais de maior porte, como cavalos de tração para lavrar as terras ou ovelhas na limpeza dos campos, é uma tendência crescente entre os vitivinicultores em França […]

Nacional

Incêndios: fogo que começou em Tomar entrou em Abrantes e Constância

O incêndio que começou por volta das 16:00, em Tomar, está a arder junto a algumas aldeias dos concelhos de Abrantes e Constância, […]

Nacional

Carro em chamas em incêndio florestal em Samora Correia

Um incêndio florestal deflagrou durante a tarde desta sexta-feira na EN 118, em Samora Correia. 
Na sequência do incêndio um carro, que estaria junto à […]