Portal único vai receber queixas sobre ambiente, agricultura e mar

Portal único vai receber queixas sobre ambiente, agricultura e mar

As queixas e reclamações de irregularidades ambientais, agrícolas ou marinhas vão ter um portal único para serem apresentadas, em que também se vai poder acompanhar o andamento dos processos.

O portal faz parte do projeto Plataforma Única de Inspeção e Fiscalização nas áreas da Agricultura, Mar e Ambiente e deverá estar a funcionar no prazo máximo de duas semanas, segundo a Inspeção-geral da Agricultura, do Mar e do Ordenamento do Território, autora do projeto.

Através do portal, os cidadãos, agentes económicos e outras entidades podem denunciar situações de agressões ao ambiente com a possibilidade de anexar provas documentais, como fotografias, e localizar no mapa o sítio onde ocorram.

A par do portal, funcionará uma plataforma que liga 19 entidades diferentes com responsabilidades nestas matérias, como o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas, a Agência Portuguesa do Ambiente, a Direção-Geral de Agricultura e Veterinária e todas as Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional.

“Acredito profundamente que, com esta ferramenta, vamos mesmo contribuir para que os acidentes, incidentes e as malfeitorias ambientais se reduzam bastante nos tempos mais próximos, podendo precaver, agir mais depressa e trabalhar em conjunto, percebendo ao longo do tempo quem é melhor para fazer o quê”, afirmou o ministro do Ambiente e Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, na apresentação do projeto.

Acrescentou que o acesso ao portal não deverá ser pretexto para ter “um muro de lamentações anónimo” mas conseguir ter no mesmo sítio toda a informação necessária para resolver e conhecer qualquer processo.

A entrada no portal carece de um registo prévio e permite fazer reclamações, denúncias e comunicar acidentes e incidentes em qualquer das áreas abrangidas.

Pretende-se evitar a repetição de reclamações que podiam entrar no sistema através de diferentes entidades e, uma vez introduzidos, os dados são encaminhados para os organismos competentes.

Os reclamantes podem depois consultar o processo em qualquer momento.

Comente este artigo
Anterior IVV: inquérito sectorial para avaliação e acompanhamento do impacto da pandemia COVID 19
Próximo Governo viabiliza construção de central fotovoltaica em áreas ardidas em Ovar

Artigos relacionados

Sugeridas

PDR2020: Desenvolvimento do Regadio Eficiente – Estudos e projetos

Operação 3.4.1. Desenvolvimento do Regadio Eficiente | Estudos e projetos (2º Anúncio)
Aberto de 6 de Agosto de 2020 às 10:00 a 25 de Setembro de 2020 às 17:00 […]

Últimas

Newsletter DGAV – Julho 2020

A Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), publica a sua Newsletter referente ao mês de julho.
Entre outros assuntos, […]

Últimas

Feira Internacional de Tecnologia para os setores de Vinificação e Engarrafamento: SIMEI – 19 a 22 de novembro – Milão

A “SIMEI” principal Feira Internacional de Tecnologia para os setores de Vinificação e Engarrafamento que será realizada de 19 a 22 de novembro de 2019 no Centro de Exposições de Milão em Rho. […]