Por que foram os ativistas alemães embirrar com o Alentejo? – José Cabrita Saraiva

Por que foram os ativistas alemães embirrar com o Alentejo? – José Cabrita Saraiva

Numa sociedade cada vez mais virada para o consumo e os bens materiais, é bom sinal que ainda haja quem se norteie por ideais e anseie por um mundo melhor.

É o caso, presumo, dos ativistas alemães que querem boicotar as estufas do Alentejo e do Algarve. Estou convencido de que terão a melhor das intenções. Mas também sei que as boas intenções podem dar resultados desastrosos.

Acontece que nestes últimos meses tenho andado um pouco pelo Alentejo. Não por esse, das estufas e da agricultura intensiva, mas pelo outro: o Alentejo interior, profundo, das casas em ruínas, dos campos ao abandono, das aldeias quase fantasma, das estradas onde não passa um carro […]

Continue a ler este artigo no Jornal I.

Comente este artigo
Anterior Green Alley Award 2022: Candidaturas abertas
Próximo Direção Regional de Agricultura do Centro está a avaliar os prejuízos causados pelas chuvas que atingiram o Baixo Mondego

Artigos relacionados

Nacional

“Ferrovia 2020 tem uma taxa de execução de 40%”, diz Pedro Marques

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, disse esta quarta-feira em comissão parlamentar que 40% da Ferrovia 2020 está […]

Comunicados

Dia Internacional da Biodiversidade

Hoje é o dia internacional da Biodiversidade. É a data instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) para consciencializar a […]

Últimas

Governo anuncia plano de ação para a Bioeconomia Sustentável e estratégia para os biorresíduos

No Parlamento, Matos Fernandes disse que a política ambiental portuguesa “representa mesmo investimento. Com o Green Deal vamos ter os recursos […]