Por que foram os ativistas alemães embirrar com o Alentejo? – José Cabrita Saraiva

Por que foram os ativistas alemães embirrar com o Alentejo? – José Cabrita Saraiva

Numa sociedade cada vez mais virada para o consumo e os bens materiais, é bom sinal que ainda haja quem se norteie por ideais e anseie por um mundo melhor.

É o caso, presumo, dos ativistas alemães que querem boicotar as estufas do Alentejo e do Algarve. Estou convencido de que terão a melhor das intenções. Mas também sei que as boas intenções podem dar resultados desastrosos.

Acontece que nestes últimos meses tenho andado um pouco pelo Alentejo. Não por esse, das estufas e da agricultura intensiva, mas pelo outro: o Alentejo interior, profundo, das casas em ruínas, dos campos ao abandono, das aldeias quase fantasma, das estradas onde não passa um carro […]

Continue a ler este artigo no Jornal I.

Comente este artigo
Anterior Green Alley Award 2022: Candidaturas abertas
Próximo Direção Regional de Agricultura do Centro está a avaliar os prejuízos causados pelas chuvas que atingiram o Baixo Mondego

Artigos relacionados

Comunicados

Álvaro Amaro alerta para riscos da estratégia para agricultura biológica

Foco do plano de ação para desenvolvimento da agricultura biológica no consumo merece destaque positivo […]

Últimas

Militares da Marinha travam progressão de fogos


Marinha apoia combate aos fogos

Militares da Marinha foram acionados pela Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) para colaborarem no combate aos fogos florestais que têm fustigado a região. […]

Últimas

Segunda edição da escola de pastores arranca em junho

A segunda edição da escola de pastores arranca em junho e surge com uma abrangência maior, em termos de impacto territorial ao nível da região Centro, com a inclusão da Escola […]