Plátano do Rossio Eleito a Árvore Portuguesa do Ano 2021

Plátano do Rossio Eleito a Árvore Portuguesa do Ano 2021

Foi hoje conhecido o vencedor do concurso nacional. Os portugueses escolhem o Plátano do Rossio como a Árvore Portuguesa do ano de 2021.

Plantado em 1838, o ex-libris de Portalegre ganhou o Concurso Árvore Portuguesa do ano 2021 com 2.401 votos, seguido da Oliveira de Mouchão, de Santarém, que contou com 2.213
votos e da Schotia do Jardim Botânico da Ajuda, em Lisboa, com 1.883 votos.

O Plátano do Rossio é o maior plátano da Península Ibérica. De porte majestoso, guarda em si, nas suas longas e robustas pernadas, anos e anos de memórias coletivas e segredos
infindáveis. Há muito que é lugar de encontros e reencontros, e ali nasceram clubes, associações e bandas filarmónicas.

Não dá para ficar indiferente ao carinho especial que os portalegrenses sentem por este monumento vivo. De impressionante resiliência, continua a pasmar admiradores, a ouvir
desabafos de solitários e a inspirar artistas atendendo à sua singularidade estética, à sua importância botânica e comunitária.

Ao contrário do que aconteceu nas edições anteriores em que os Portugueses premiaram exemplares arbóreos característicos dos sistemas produtivos agro-florestais – os montados e os soutos, pela primeira vez neste concurso nacional foi eleita uma árvore ornamental, exótica em Portugal e que foi provavelmente introduzida por gregos ou romanos que a utilizavam devido à sua sombra.

O Plátano do Rossio é assim, o eleito para representar Portugal no concurso europeu Tree of the Year. Durante o mês de fevereiro de 2021, todos poderão escolher a sua árvore preferida a nível Europeu através de um sistema de votação on-line.

O público decidiu entre 10 árvores candidatas, num total de votos registados de 13.750.

Os resultados da votação foram:

  1. Plátano do Rossio | Portalegre
  2. Oliveira de Mouchão | Cascalhos, Mouriscas, Santarém
  3. Schotia do Jardim Botânico da Ajuda | Ajuda, Lisboa
  4. Bela sombra |Ílhavo, Aveiro
  5. O Bravo do Pinhal do Rei | São Pedro de Moel, Marinha Grande, Leiria
  6. Carvalho de Calvos | Calvos, Póvoa de Lanhoso, Braga
  7. Castanheiro de Guilhafonso | Guilhafonso, Pêra do Moço, Guarda
  8. Tulipeiro dos Biscainhos | Braga
  9. Freixo Duarte D’ Armas | Freixo de Espada à Cinta, Bragança
  10. Tília do Solar dos Condes de Arnoso | Sameice, Seia, Guarda

As histórias das dez árvores nacionais a concurso encontram-se disponíveis em: https://portugal.treeoftheyear.eu.

Os resultados do concurso nacional encontram-se disponíveis em: http://portugal.treeoftheyear.eu/results.

Comente este artigo
Anterior Oferta de emprego - Enólogo - Alcácer do Sal
Próximo Aprovados apoios para o restabelecimento do potencial produtivo causados pelos incêndios deste verão

Artigos relacionados

Últimas

Ministérios querem menos consumo de água na agricultura, autarquias e turismo

Os ministérios do Ambiente e da Agricultura defenderam hoje que é preciso gastar menos água nas autarquias, agricultura e turismo no Algarve para fazer face a uma “seca estrutural” […]

Dossiers

Cotações – Cereais – Informação Semanal – 24 a 30 Dezembro 2018

Análise SIMA – Sistema de Informação de Mercados Agrícolas
Milho grão forrageiro
As últimas previsões do IGC (Conselho Mundial dos Cereais) apontam para um aumento de 2,5% no volume de produção mundial de milho na campanha 2018-2019, […]

Nacional

Governo desvaloriza ‘polémica’ em relação à redução de bovinos

Em dezembro de 2018, João Pedro Matos Fernandes, ministro do Ambiente, deu uma entrevista ao jornal Público em que defendia a necessidade de redução da produção de bovinos entre 25% a 50% para atingir a neutralidade carbónica em 2050. […]