Plataforma digital pretende mobilizar sociedade contra desperdício alimentar

Plataforma digital pretende mobilizar sociedade contra desperdício alimentar

O desperdício alimentar representa 1,3 mil milhões de alimentos desperdiçados por ano que, se aproveitados, poderiam alimentar 3 mil milhões de pessoas. Uma realidade que esteve na base da criação em Portugal do Movimento Unidos Contra o Desperdício (MUCD) que lança uma plataforma digital que agrega «toda a informação útil e relevante e pretende ser o site de referência em Portugal na luta contra o desperdício alimentar».

A nova plataforma digital disponível aqui  contém uma área de notícias, dados estatísticos actualizados, informação sobre a temática por entidades nacionais e internacionais. Uma área dedicada às boas práticas para evitar o desperdício alimentar disponibiliza dicas e desafios que ajudam o cidadão comum a melhor compreender como é possível contribuir para a redução do desperdício de alimentos, reduzindo a montante a sua produção e aproveitando as sobras através de receitas apelativas.

Para Francisco Mello e Castro, do Movimento Unidos Contra o Desperdício, «o novo site vem apoiar, de forma mais sólida, o Movimento na chamada de atenção e consciencialização para uma indispensável mudança de atitudes e comportamentos. A informação disponibilizada pretende impactar todos os intervenientes, apelando, através de diferentes conteúdos, a um maior sentido de responsabilidade colectiva em torno do desperdício alimentar, que sendo um absurdo económico, implica o desperdício de recursos e tem impactos a nível social e Ambiental».

O Movimento Unidos Contra o Desperdício nasceu no primeiro dia, instituído pelas Nações Unidas como “Dia Mundial de Consciencialização para as Perdas e o Desperdício Alimentar”, a 29 de Setembro de 2020, fruto do envolvimento de 10 entidades fundadoras de diversos sectores que se uniram. O seu objectivo é chamar a atenção, consciencializar e mudar atitudes, ao longo de toda a cadeia, impactando todos os intervenientes: os que produzem, os que fabricam, os que transformam, os que embalam, os que transportam, os que consomem, e os que descartam os resíduos.

O artigo foi publicado originalmente em Revista Frutas, Legumes e Flores.

Comente este artigo
Anterior Portugal Fresh com inscrições abertas para participação conjunta na Fruit Attraction
Próximo Sin tendencia clara en el mercado de la almendra

Artigos relacionados

Últimas

Câmara de Sever do Vouga comprou terrenos junto ao rio para eliminar eucaliptos

A Câmara de Sever do Vouga, distrito de Aveiro, adquiriu terrenos confinantes com o rio Vouga com vista a eliminar os eucaliptos nas margens, revelou hoje o seu presidente, António Coutinho. […]

Últimas

Atrasos na execução do PT2020 podem levar Portugal a perder fundos de Coesão, alerta Almeida Henriques

“O Estado Central mais não tem feito que adiar os seus investimentos ou financiar políticas correntes através dos fundos de Bruxelas”, […]

Últimas

Dia de campo do InovMilho contou com 250 participantes

Cerca de 250 pessoas participaram no “Dia de Campo do InovMilho – Centro Nacional de Competências das Culturas do Milho e Sorgo”, […]