Pedrógão Grande: Dois anos depois ainda está longe o caminho para uma nova floresta

Dois anos depois do grande incêndio de Pedrógão Grande foi dada “uma atenção redobrada” à prevenção, mas ainda está longe o caminho para a gestão de uma nova floresta, considera o observatório técnico independente criado pelo parlamento.

Depois do fogo de 17 de junho de 2017 de Pedrógão Grande, em que morreram 66 pessoas, e dos fogos de outubro desse ano (com 50 mortos na região Centro), o Governo anunciou várias medidas para a prevenção e o combate aos incêndios, a maioria decidida no Conselho de Ministros extraordinário de 21 de outubro de 2017 e com base nas recomendações do primeiro relatório da comissão técnica independente sobre os incêndios de Pedrógão Grande.

Muitos dos elementos dessa comissão técnica fazem agora parte do observatório técnico independente para análise, acompanhamento e avaliação dos incêndios florestais criado pela Assembleia da República em 2018.

Continue a ler este artigo no Correio da Manhã.

Comente este artigo
Anterior La viande est-elle un nouveau poison?
Próximo Governo quer cobrar IMI mais elevado em terrenos sem uso

Artigos relacionados

Últimas

Feira de Famalicão atrai centenas à procura das “coisinhas” que a terra dá

A generalidade dos municípios decidiu suspender as feiras, mas em Famalicão, no distrito de Braga, a decisão passou por “reinventar” o […]

Sugeridas

Obras de reabilitação do do Vale do Sado deixam 3 mil hectares de arroz por semear

As sementeiras de arroz estão concluídas, sendo que no Alentejo, e devido às obras de reabilitação do aproveitamento hidroagrícola do Vale do Sado, se estima que cerca de 3 mil hectares de […]

Últimas

Oferta de emprego – Engenheiro Agrónomo – Porto de Mós

Pretendemos contratar um engenheiro agrónomo ou equiparado para uma empresa ligada ao sector olivícola/produção e comercialização de azeite. […]