PDR 2020 e Programa Nacional de Regadios com grande peso no orçamento do Ministério da Agricultura

PDR 2020 e Programa Nacional de Regadios com grande peso no orçamento do Ministério da Agricultura

O Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020 e Programa Nacional de Regadios,  com grande peso no orçamento do Ministério da Agricultura, constituem os principais instrumentos que irão contribuir para promover o “aumento da competitividade do sector agrícola e florestal concorrendo para um aumento estimado do valor acrescentado bruto no complexo agroflorestal de 0,9% ao ano”, refere o Relatório do Orçamento do Estado para 2020.

Realça o documento que o PDR 2020 é o instrumento de aplicação da Politica Agrícola Comum (PAC) financiado pelo Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural (FEADER), e com contributos do OE, que visa promover condições para o crescimento sustentável do sector agroflorestal em todo o território nacional, tendo como objectivos estratégicos: o crescimento do valor acrescentado do sector agroflorestal e rentabilidade económica da agricultura; a promoção de uma gestão eficiente e protecção dos recursos; a criação de condições para a dinamização económica e social do espaço rural.

Compromissos agroambientais abrangem 1,1 milhões de hectares

Este programa concentra os apoios no sector e na produção de bens transaccionáveis dirigidas a agentes directamente envolvidos na criação de valor a partir de actividades agroflorestais assentes na protecção e na gestão eficiente dos recursos naturais, nomeadamente através de compromissos agroambientais que abrangem 1,1 milhões de hectares.

Programa Nacional de Regadios

Na promoção de uma agricultura inovadora, sustentável, competitiva, inserida nos mercados nacionais e internacionais, promotora do desenvolvimento rural e da coesão territorial, o Programa Nacional de Regadios (PNR), financiado através do PDR 2020, do Banco Europeu de Investimento (BEI) e do Banco de Desenvolvimento do Conselho da Europa (CEB) e de contributos do OE, tem um papel importante, contribuindo ainda para o desenvolvimento do território rural, para o combate à desertificação do interior; atingindo áreas de novo regadio (54.032 ha) e áreas de reabilitação e modernização de regadio existente (41.053 ha); ajudando a fixar populações, criando riqueza e melhorando as condições de vida no interior. Estes programas promovem a criação de condições para a manutenção de um espaço rural económica e socialmente viável e a manutenção da sua população (cerca de 31% da população total).

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior OE 2020: Governo lança projectos piloto de regeneração da floresta
Próximo Von der Leyen destaca “investimento significativo” feito por Portugal na ação climática

Artigos relacionados

Ofertas

Oferta de emprego – Consultor Agrícola – Engenheiro Agrónomo – Gondomar

A Espaço Visual recruta Consultor/a Agrícola para integração na sua equipa de avaliação e planeamento em Gondomar. […]

Últimas

Incêndios: Governo cria apoios para alimentação de colónias de abelhas

O Governo publicou esta sexta-feira um despacho que estabelece um mecanismo de apoio para a compra e entrega de alimentação para as colónias de abelhas dos municípios de Mação, […]

Comunicados

ADP fertilizantes participa em dia de campo em Coimbra

No dia 11 de setembro, a ADP Fertilizantes voltou a participar nos campos demonstrativos de milho grão em parceria com a Lusiterra, […]