PDR 2020: Agricultores de Mação, Vila de Rei e Sertã têm apoios pelos incêndios

Os agricultores afectados pelo incêndio que percorreu o território dos concelhos de Mação, Sertã e Vila de Rei entre os dias 20 e 23 de Julho, têm já apoios disponíveis, informa o Ministério da Agricultura,liderado por Luís Capoulas Santos. Há 600 mil euros, mas o valor pode ser reforçado.

A medida avnaça depois de ter sido hoje, 6 de Agosto, publicado em Diário da República o Despacho n.º 6938-A/2019, que reconhece este incêndio como catástrofe natural.

Este Despacho permite o accionamento da Medida 6.2.2. Restabelecimento do Potencial Produtivo, no âmbito do PDR 2020, através da qual o Governo disponibiliza 500 mil euros para atribuir aos agricultores de acordo com os seguintes níveis de apoio:

  • 100% para prejuízos até 5.000 euros;
  • 85% para prejuízos entre 5.000 e 50.000 euros;
  • 50% para prejuízos entre 50.000 e 800.000 euros.

Para prejuízos no potencial produtivo

Explica o Gabinete de Capoulas Santos que esta medida “aplica-se a agricultores que sofreram prejuízos no potencial produtivo das suas explorações e destina-se a financiar perdas em culturas permanentes (vinha, olival e pomar), efectivos pecuários, equipamentos e maquinaria e instalações de apoio à actividade agrícola”.

Nesta situação estão os agricultores das freguesias da Fundada e de São João do Peso, no município de Vila de Rei, e das freguesias de Amêndoa e de Cardigos, no município de Mação, freguesias cujas áreas agrícolas e florestais ardidas ultrapassam dos 30% do seu território.

Para agricultores titulares de explorações situadas na freguesia do Carvoeiro, no município de Mação; na União de Freguesias da Cumeada e Marmeleiro e na União de Freguesias de Cernache do Bonjardim, Nesperal e Palhais, no município da Sertã; e na Freguesia de Vila de Rei, no Município de Vila de Rei; freguesias cujas áreas agrícolas e florestais ardidas ficam aquém dos 30% do seu território, está disponível uma verba de 100 mil euros.

Há 600 mil euros

A dotação global disponível, no valor de 600 mil euros, poderá ser reforçada, caso se verifique essa necessidade.

Adicionalmente, o Governo instalou, com o apoio do Município de Vila de Rei, uma base logística para fornecimento de alimentação animal.

Estão disponíveis feno e açúcar (para alimentar abelhas), fornecidos pelo Ministério da Agricultura, além de diversos tipos de rações, solidariamente fornecidos por empresas da fileira.

Agricultura e Mar Actual

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Anterior Especialistas deixam alerta: escassez de água já afeta um quarto da população mundial
Próximo Incêndios: Dos 18 mil que ocorreram nos últimos dois anos "só dois são de grande dimensão", diz Governo

Artigos relacionados

Últimas

Fórum internacional dedicado à sustentabilidade alimentar

Entre 17 e 21 de julho, vai decorrer em Idanha-a-Nova o Fórum Internacional Territórios Relevantes para Sistemas Alimentares Sustentáveis (FISAS).
O FISAS será um espaço plural, […]

Comunicados

TERRAPRO aplica agricultura de precisão em olival de José Maria Falcão

A TERRAPRO está a ajudar o agricultor José Maria Falcão a otimizar a rega e a fertilização do olival através de sondas monitorização do teor de humidade no solo, […]

Nacional

Incêndios. A1 reaberta em Albergaria-a-Velha, fogo em Paus continua ativo

O principal incêndio na região de Aveiro, fustigada por vários fogos florestais desde quinta-feira, em especial nos concelhos de Águeda e Albergaria-a-Velha, […]