Parque das Serras do Porto quer investir mais de 573 mil euros em reflorestação

Parque das Serras do Porto quer investir mais de 573 mil euros em reflorestação

O Parque das Serras do Porto apresentou candidaturas de mais de 573 mil euros para a reflorestação de 20 hectares do território, substituindo o eucalipto por carvalho e sobreiros, plantas autóctones e resistentes ao fogo.

A revelação foi feita à Lusa pelo presidente do Conselho Executivo do parque das serras, Alexandre Almeida com base no objetivo de “substituir uma área bastante grande de eucalipto por espécies autóctones, como o carvalho e o sobreiro, mais resistentes aos fogos”. A reflorestação dos 20 hectares distribuiu-se pela candidatura ao POSEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos, que abrange seis deles, três candidatos ao apoio do Fundo Ambiental e 11 em parceria com a Lipor, disse.

A primeira candidatura para a “Prevenção, controlo e erradicação de espécies exóticas invasoras” tem um “custo total de 390.014,50 euros” enquanto a formalizada ao Fundo Ambiental para “adaptar o território às alterações climáticas” tem um“valor global de 183.052,00 euros”.

Estamos também a contar fazer candidaturas a nível internacional, ao nível do Programa Life [de desenvolvimento sustentável e para a consecução dos objetivos e metas da Estratégia Europeia 2020] e também com o Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP) para continuar com esse esforço, se possível, começando já este ano”, divulgou.

Com seis mil hectares de área total e abrangendo os concelhos de Gondomar, Valongo e Paredes, o Parque das Serras do Porto, segundo o responsável, está também a “estudar com alguns parceiros, como a Lipor, planos de sequestro de carbono, envolvendo empresas que usem o parque das serras para comprar créditos de sequestro de carbono”.

A propósito da desejada reflorestação, o também presidente da Câmara de Paredes argumentou que uma vez “concluída a última revisão dos Planos Diretores Municipais (PDM) que os vai adaptar aos PDM de terceira geração” os municípios poderão “passar a impor normas ao nível das florestas”.

E aí podemos impor que em determinadas áreas só se possam plantar plantas autóctones, ainda que isso não obrigue os proprietários a fazerem-no”, explicitou o responsável que, para contornar essa limitação, recordou o recente anúncio do ministro do Ambiente.

Segundo João Pedro Matos Fernandes “em certas zonas consideradas prioritárias em termos de risco de incêndio”, área em que Alexandre Almeida espera ver “englobado o Parque das Serras do Porto”, haverá “zonas em que ou os proprietários fazem a reflorestação com os apoios governamentais anunciados ou serão forçados a alugar os seus espaços para que o Estado o faça”.

Passando para a prevenção de incêndios incluiu “a reflorestação, limpeza dos caminhos corta-fogos, criação da brigada de sapadores e locais para abastecer de água os helicópteros” como “áreas essenciais para serem concretizadas”.

Com a ajuda do TPNP e uma vez prontos os trilhos, o Parque das Serras do Porto passará a estar visível no aeroporto Francisco Sá Carneiro, revelou o responsável do parque que abrange seis mil hectares dos três concelhos Alexandre Almeida cessará funções no final de 2020, passando a presidência do Parque para Valongo, seguindo-se um ano depois Gondomar.

Continue a ler este artigo no Observador.

Comente este artigo
Anterior Orçamento europeu. 27 não chegam a acordo
Próximo Climate change poses mixed consequences for agriculture: Conservation International study concludes global warming will make farming possible in regions important for biodiversity and carbon storage

Artigos relacionados

Últimas

Governo ajusta critérios de elegibilidade de pequenos investimentos agrícolas do PDR 2020

O Governo efetuou ajustamentos aos critérios de elegibilidade e seleção das candidaturas aos apoios para pequenos investimentos na exploração agrícola e na transformação e comercialização de produtos agrícolas para garantir “maior eficiência” na operacionalização do Programa de Desenvolvimento Rural 2020. […]

Nacional

Incêndios: Dominado fogo que lavrou esta tarde em Loulé

O incêndio que deflagrou hoje à tarde na zona do Carvalhal e Amendoeira, em Loulé (Faro), foi dominado às 19:44 pelos bombeiros, que se encontram a realizar trabalhos […]

Dossiers

Previsão período alargado – Continente – 31 mai. a 27 jun. 2021

Precipitação total com valores abaixo do normal e temperatura média semanal com valores acima do normal. Na precipitação total semanal, prevêem-se valores […]