Oleiros: Atelier do Azeite encerra iniciativa Dez Freguesias, Dez Experiências

O décimo atelier temático de cultura e gastronomia da iniciativa Dez Freguesias Dez experiências realizou-se no passado sábado, dia 7 de Dezembro, na freguesia de Sobral. Dedicado ao “ouro da terra”, o azeite, encerrou o périplo pelas freguesias que o Município de Oleiros iniciou há dois anos, promovendo e divulgando o seu património. No final, mais de uma centena de participantes puderam ficar a conhecer um pouco aquela freguesia.

A jornada iniciou-se com um passeio interpretativo onde não faltaram experiências, degustações, a visita a um antigo lagar tradicional de varas com tracção animal e a uma exploração agro-silvo-pastoril, concretamente, a uma plantação exemplar numa extensa área de olival da variedade galega.

O potencial da cultura

Naquele local, o sócio-gerente da Casa Fernandes, João Marques, explicou alguns aspectos técnicos e produtivos associados à cultura, realçando o potencial da variedade, explicando a melhor forma de a conduzir e todas as vantagens competitivas daquele produto local.

Tendo como guia local Gonçalo Barata, da União Regionalista da Freguesia de Sobral (URFS), o itinerário contemplou aspectos histórico-culturais do Sobral, como a existência da antiga Matriz da qual apenas resta a torre sineira, o quadro exterior de S. João Baptista, a actual Matriz, a escola antiga de Sobral de Cima, a Lenda de S. João (abordada no “cabecinho de S. João”), ou a importância da Casa Fernandes para o fomento industrial (ligado ao sector da resina) e agro-florestal do território, valorizando-o do ponto de vista socioeconómico, entre outros tópicos que foi abordando.

O xisto na cultura da oliveira

Em terras de azeite e de abundância de água, sendo a freguesia limitada a norte pelos Meandros do Zêzere, Joana de Castro Rodrigues, do Geopark Naturtejo realçou ainda a importância do xisto para a cultura da oliveira, não só no que se refere ao solo (permitindo uma melhor acumulação de água e temperatura) mas também na constituição das banquetas em xisto – património emblemático daquela região.

A geóloga fez a sua explicação junto de um antigo lagar de varas movido com a força da água da ribeira, nas imediações do qual existem várias cascatas de singular beleza. Dali o grupo partiu para um olival, já nas imediações do Sobral, onde teve lugar uma recriação de uma tradicional apanha da azeitona do séc. XIX, a cargo da Companhia de teatro Viv´Arte e onde não faltaram as danças de roda, nas quais os participantes podiam entrar.

Visita ao lagar da Casa Fernandes

Chegado ao Sobral, o grupo pode visitar o lagar da Casa Fernandes, em plena laboração, assistindo – desde a recepção e transporte da azeitona por métodos inovadores ao processo de obtenção do azeite pelo método tradicional – através de prensas de capachos e na presença de um mestre lagareiro.

Neste local o grupo pode ainda participar numa prova de azeite, distinguindo entre o azeite novo e o da campanha anterior. Este momento serviu de aperitivo para o almoço, num dia solarengo, o qual teve lugar no Largo de Festas de Sobral.

Ali foi servida uma tradicional Tiborna. Como sobremesa, para além da tigelada, os participantes foram ainda brindados com o “Sobralinho”, um pastel criado pela URFS em jeito de comemoração pelo seu 60.º aniversário e o qual tem como ingredientes o medronho ou a gila.

Organização da autarquia

A organização deste atelier de cultura e gastronomia esteve a cargo do Município de Oleiros e da Junta de Freguesia de Sobral, tendo contado com o apoio do Geopark Naturtejo, da União Regional da Freguesia de Sobral e dos Bombeiros Voluntários de Oleiros.

Este décimo atelier encerrou assim com o ouro do azeite o ciclo de experiências promovidas pelo Município nas freguesias do concelho e no qual ao longo dos dois últimos anos foram revelados e realçados activos naturais-paisagísticos e histórico-culturais do território, valorizando os seus recursos endógenos.

Esta acção municipal intitulada “Dez Freguesias, Dez Experiências” integra o projecto inter-municipal “Beira Baixa Cultural”, promovido por aquela Comunidade Inter-municipal e Municípios que a constituem, sendo co-financiado pelo Fundo de Desenvolvimento Europeu/Portugal 2020.

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior Declaração de Existências de Ovinos e Caprinos (DEOC) - Período obrigatório - janeiro 2020
Próximo Governo quer um projecto de transformação digital por ministério

Artigos relacionados

Nacional

Incêndios: Bombeiros em aldeias de Vila Real para deteção e intervenção mais rápida

Três equipas de bombeiros da Cruz Branca, de Vila Real, vão ser colocadas nas aldeias mais distantes do quartel, na fase mais crítica de incêndios, para uma vigilância, deteção e intervenção […]

Comunicados

BALADI – Federação Nacional dos Baldios

Esta foi a mensagem mais impressiva saída da VI Conferência Nacional dos Baldios realizada pela BALADI – Federação Nacional dos Baldios no passado dia 2 de Julho na aula magna da UTAD em Vila Real, […]

Notícias inovação

New CRISPR gene-drive system could crack down on antibiotic resistance in animal agriculture

Taking advantage of powerful advances in CRISPR gene editing, scientists at the University of California San Diego have set their sights on one of […]