“O consumidor quer ter a certeza de que os produtos que compra não estão a contribuir para a desflorestação”

“O consumidor quer ter a certeza de que os produtos que compra não estão a contribuir para a desflorestação”

A indústria da madeira pode ter um impacto positivo no planeta, desde que a floresta seja gerida de forma sustentável – do ponto de vista ambiental, sim, mas também social e económico, explica Joana Faria, diretora-executiva da FSC Portugal

Na sequência da Cimeira da Terra, no Rio de Janeiro, em 1992, várias ONG juntaram-se para fazer aquilo que os governos do mundo não conseguiram: criar uma forma de proteger as florestas e travar a desflorestação. Nasceu assim o Forest Stewardship Council (FSC), para promover uma gestão florestal responsável, certificando matéria-prima com origem em florestas sustentáveis – separar o trigo do joio. Em 2007, entrou em Portugal, pela mão da WWF.

“A certificação assenta em três pilares: ecológico, económico e social”, descreve Joana Faria, diretora-executiva da FSC Portugal, na conversa da VISÃO VERDE desta semana. “Promovemos uma gestão ambientalmente adequada, socialmente benéfica e economicamente viável das florestas em todo o mundo. Costumo dar o exemplo de um banco com três pés: se retirarmos um dos pés, o banco cai. Tão importante com o lado ambiental é o social, as condições dos trabalhadores.” E o lado económico ajuda a sustentar os

Continue a ler este artigo na Visão.

Comente este artigo
Anterior Europa tem 20.000 hectares agrícolas desaproveitados - Norbert Lins
Próximo Incêndios: Madeira investe cinco milhões de euros em helicóptero por três anos

Artigos relacionados

Últimas

Prospectores internacionais visitam Alqueva

De 22 a 24 de Maio, uma missão empresarial traz cerca de 30 empresários de seis países a visitar a área servida pelo projecto de Alqueva. […]

Nacional

Vinhos da Região de Palmela voltam a destacar-se em concursos internacionais


A qualidade do vinho produzido em Palmela continua a ser reconhecida em certames internacionais. O Município de Palmela aprovou, […]

Nacional

Explorações agrícolas baixam 4,9% para 290 mil em 2019 – INE

As explorações agrícolas em Portugal diminuíram em 4,9% em 2019, para 290 mil, face a 2009, revelou hoje o Recenseamento Agrícola divulgado pelo Instituto Nacional […]