Nuno Russo desafia ordem dos médicos-veterinários a promoverem o diálogo entre os profissionais e a investigação

Nuno Russo desafia ordem dos médicos-veterinários a promoverem o diálogo entre os profissionais e a investigação

O Secretário de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, Nuno Russo, participou, ontem, na cerimónia de tomada de posse do Bastonário da Ordem dos Médicos-Veterinários e dos restantes membros dos órgãos sociais eleitos para o quadriénio 2020-2023, a qual decorreu em Lisboa.

O membro do Governo, na sua intervenção, começou por destacar a importância crescente destes profissionais, nomeadamente no âmbito de matérias que estão na ordem do dia como o Bem-Estar Animal, inclusive no que diz respeito aos animais de companhia: “os Médicos-Veterinários são agentes fundamentais na sensibilização para a adoção responsável e para o que são as obrigações de quem adota um animal. Aliás, foi com o apoio e o empenho dos Médicos-Veterinários que foi possível levar a cabo projetos tão relevantes como o SIAC (Sistema de Informação de Animais de Companhia), a plataforma única de registo de animais de companhia. Um projeto que parecia inalcançável e que, hoje, é uma realidade, contribuindo também para a simplificação e para a modernização na atividade, objetivos transversais nos dias que correm”.

Nuno Russo também fez referência à Segurança Alimentar durante a sua intervenção, salientando que, “perante os efeitos das alterações climáticas e a escassez de recursos, os objetivos de desenvolvimento sustentável lembram-nos que ainda é preciso erradicar a fome e alimentar uma população crescente, garantindo alimentos seguros, de qualidade e produzidos de forma sustentável. A agricultura e a pecuária nacionais deverão continuar a assegurar alimentos seguros, de elevada qualidade, nutritivos e diversificados, a preços competitivos, mas através de uma agricultura inteligente, moderna e sustentável. E aqui, mais uma vez, os Médicos-Veterinários têm uma palavra a dizer, fazendo parte de um sistema em constante aperfeiçoamento e em que todos os intervenientes fazem a diferença na garantia do respeito pelos direitos do consumidor.

A cooperação entre a Ordem, os profissionais e o Ministério foi outra das questões trazidas pelo Secretário de Estado durante a sua intervenção: “Temos, na Ordem dos Médicos-Veterinários e em todos os seus profissionais, parceiros fulcrais na superação destes e de tantos outros desafios, bem como no estabelecimento de novos objetivos que possam ir ao encontro das exigências da atualidade. Exemplo disso é o setor da pecuária, tão importante para o desenvolvimento socioeconómico coeso do território, e em que, juntos, procuraremos alternativas que permitam reduzir a emissão de gases de efeito de estufa, bem como promover níveis mais elevados de sustentabilidade e de sequestro de carbono, a par da proteção da biodiversidade e do nosso ecossistema. Isto recorrendo, nomeadamente, a mais inovação, a mais investigação e a mais conhecimento aplicado”.

Neste âmbito e tendo sublinhado a disponibilidade do Ministério para um debate participado e transversal, o Secretário de Estado concluiu a sua intervenção deixando um desafio à Ordem, aos seus profissionais e às instituições ligadas à investigação: “Termino deixando o repto: promovam o diálogo entre o saber daqueles que exercem a profissão e o conhecimento resultante da investigação que é desenvolvida nesta área, designadamente pelas instituições de ensino superior. O Ministério está disponível para entrar nessa discussão e para procurar a aplicação dos resultados que decorrerem dessa partilha. Sublinho: têm, neste Ministério, um interlocutor sempre disponível para ouvir, debater e cooperar. Um Ministério que ambiciona alcançar uma Agricultura e Pecuária ainda mais sustentáveis, competitivas e inovadoras e que, para isso, conta com todas e todos que queiram colaborar, participar e trabalhar nestes novos desafios”.

Comente este artigo
Anterior Barragem do Funcho combate seca extrema no Algarve
Próximo Citrinos mais procurados são as laranjas

Artigos relacionados

Últimas

Comissão Europeia: sem Espanha no caminho, Costa espera ter fundos europeus

Apesar do revés que significou para António Costa o arranjo final da distribuição dos cargos de topo da arquitetura europeia, o Governo acredita que Portugal saiu da cimeira desta semana em boas condições para discutir a distribuição de pelouros na futura Comissão Europeia (CE). […]

Últimas

Covid-19: Risco de escassez de alimentos no Reino Unido pode resultar em racionamento e motins

“Temos de recordar que o Reino Unido, como a maioria das outras economias desenvolvidas, não produz a maior parte dos alimentos que consome. […]

Comunicados

GAL preocupados com impacto da COVID-19 nos territórios rurais

Aproveitar a flexibilidade dos fundos comunitários para reforçar a resiliência dos empreendedores rurais […]