Novo centro de lavagem da IFCO em Portugal

Novo centro de lavagem da IFCO em Portugal

A IFCO Systems vai abrir em Portugal um novo centro de lavagem para recipientes de plástico reutilizáveis (RPC), que aumenta a sua capacidade de lavagem e lhe permite «melhorar a eficiência e oferecer o melhor serviço ao cliente». A empresa, que fornece soluções de embalagens reutilizáveis, diz que esta nova infraestrutura vai «triplicar» a sua capacidade de lavagem em Portugal: tem a capacidade de lavar 90.000 RPC por dia, o que equivale a aproximadamente 30 milhões de RPC por ano.

Localizado na Azambuja e situado a 500 metros do armazém da IFCO, o novo centro vai lavar os RPC do mercado português e também irá lavar RPC vindos de outros mercados, maioritariamente de Espanha. Esta infraestrutura possui 7.200 metros quadrados (m2) de área coberta e 4.000 m2 de área descoberta, afirmando a empresa que oferece «espaço de armazenamento suficiente para melhorar a disponibilização dos RPC tanto para Portugal como para Espanha».

«Ao lavá-los directamente em Portugal, a IFCO evita o transporte para Espanha de aproximadamente quatro milhões de RPC vazios e sujos por ano», explica a empresa. O novo centro de lavagem conta com «mais de 50 colaboradores, oito docas de camiões para carga e descarga e tecnologia inovadora», incluindo «tecnologia melhorada para garantir um processo eficiente para retirar etiquetas e de secagem».

Segundo a IFCO, a nova infraestrutura «contém uma máquina de secagem centrifugadora inovadora, que seca meticulosamente os RPC para melhorar a capacidade de lavagem e garantir que não existem RPC molhados durante o Inverno», bem como um novo removedor de etiquetas, «que garante uma melhor lavagem». A IFCO utiliza o sistema SmartGuardian, que «mede e monitoriza os principais parâmetros, como fluxo e temperatura da água, pressão das bombas, tempo de contacto, assim como concentração de detergente e desinfectante», além de monitorizar «continuamente» os processos de lavagem e fornecer aos consumidores «dados verificáveis e comprovados».

Os RPC da IFCO são usados para transportar diferentes tipos de alimentos frescos – como frutas, vegetais, pão, carne, peixe – e, tendo em conta que, «na indústria alimentar, a segurança é a prioridade máxima», a empresa «assegura rigorosos padrões de higiene e saneamento globais em todas as suas instalações de lavagem», sendo os RPC lavados «de acordo com os mais altos padrões da indústria RPC e de acordo com o rigoroso plano Haccp». A IFCO refere ainda que «já instalou em vários dos centros de lavagem um equipamento de reciclagem de água, o qual diminui a quantidade de água utilizada durante o processo de lavagem», e que usa «tecnologia para economizar energia através da combinação entre o calor e a energia gerada».

O artigo foi publicado originalmente em Revista Frutas, Legumes e Flores.

Comente este artigo
Anterior Elaia investe na conservação da biodiversidade do olival
Próximo Conclusões do projeto EntoValor: insetos na alimentação animal tornam setor mais sustentável

Artigos relacionados

Últimas

Observatório Técnico Independente: Estudo Técnico – O planeamento da Defesa da Floresta Contra Incêndios

O planeamento da defesa da floresta contra incêndios é uma ferramenta de trabalho essencial na prevenção […]

Últimas

Águeda inundada devido a descargas “brutais” de barragem. “Não vai ser fácil”

A baixa da cidade de Águeda, no distrito de Aveiro, encontra-se inundada devido às descargas “brutais” da Barragem de Ribeiradio, no concelho vizinho de Sever do Vouga, […]

Últimas

IVV: inquérito sectorial para avaliação e acompanhamento do impacto da pandemia COVID 19

O IVV, entidade supervisora da Vinha e do Vinho em Portugal, encontra-se a realizar um inquérito sectorial para avaliação e acompanhamento do impacto da pandemia COVID 19. […]