Município de São Brás de Alportel avança na estratégia de prevenção de incêndio

Município de São Brás de Alportel avança na estratégia de prevenção de incêndio

O Município de São Brás de Alportel avança na estratégia de prevenção de
incêndios. Reforço de vigilância, silvicultura preventiva, limpeza de bermas e
criação de faixas de gestão de combustível são algumas das frentes prioritárias
neste trabalho.

Na zona serrana do concelho está em curso a execução de 220 hectares de
faixas de gestão de combustível da Rede Primária, um investimento de 108.936,50
euros, acrescidos de IVA, apoiado por fundos comunitários no âmbito do plano
PDR 2020. Simultaneamente, decorrem trabalhos de silvicultura preventiva em
faixas de gestão de combustível, em torno das povoações de Outeiro (Alportel) e
Bico Alto, zonas estratégicas, na prevenção de incêndios pela sua localização.
Trabalhos adjudicados por cerca de 16.000 euros. A limpeza de bermas em
caminhos e estradas municipais é outra importante frente deste trabalho em marcha
desde maio. Já foram abrangidos 80 km no concelho, num investimento da
autarquia que ultrapassa os 20.000 euros.

Mediante um acordo existente com a Associação de Produtores Florestais da Serra do Caldeirão, estão também a ser desenvolvidos trabalhos de silvicultura e de criação de faixas de gestão de combustível na zona serrana. Estes trabalhos estão a incidir no sítio de Javali com o objetivo de proteger habitações e a população em caso de incêndio florestal.

Em complemento a estas empreitadas, através de administração direta, o
município realiza desde maio a limpeza e manutenção de bermas nos núcleos
habitacionais localizados no Barrocal do concelho. Trabalhos que incluem também
o corte e limpeza de árvores que colocam em causa a normal circulação de trânsito
em vias e caminhos municipais.

A Equipa de Sapadores Florestais que o município dispõe desde março de
2018 assegura outra importante frente de trabalho. Ao longo do ano tem vindo a
realizar trabalhos de limpeza, manutenção e roça de matos em zonas florestais
com vista à diminuição da carga combustível, inclusivamente em novas áreas de
intervenção para as quais tem sido necessária a articulação com as diretrizes
da Proteção Civil Municipal, do Instituto de Conservação da Natureza e
Florestas (ICNF) e em estreita articulação com a Equipa de Sapadores Florestais
da Associação de Produtores da Serra do Caldeirão. Esta equipa tem vindo a
participar ainda em várias ações de sensibilização junto da população com o
objetivo de alertar para comportamentos de risco no espaço florestal e a
necessidade de limpeza de algumas zonas. Durante o período crítico de verão,
esta equipa ocupa-se ainda da área da vigilância móvel e fixa, realizando
trabalhos de primeira intervenção, bem como rescaldo e vigilância pós incêndios
florestais, se necessário. A vigilância vai ser alternada com trabalhos de
limpeza e gestão de combustível em pontos críticos identificados pelo município
e por munícipes.

O reforço da vigilância e dos meios de combate são outras frentes
primordiais desta estratégia, colocada em marcha com recurso a um conjunto cada
vez mais alargado de parceiros, entre os quais a Corporação de Bombeiros, o
Comando Distrital da Proteção Civil, o Exército, a GNR, GIPS e demais
entidades.

“Temos em marcha a Estratégia de Prevenção de Incêndios Florestais de
2019, num enorme esforço da Câmara Municipal e das diversas entidades, mas
precisamos do envolvimento de toda a comunidade nesta missão que é de todos”
, sublinha o presidente da Câmara Municipal de São Brás de Alportel,
Vitor Guerreiro, sublinhando a importância da limpeza em redor de habitações em
zonas rurais e deixando um agradecimento e elogio aos cidadãos que se têm
envolvido neste esforço conjunto de proteção do património natural do concelho
e da sua população.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Anterior Aljezur: Feira da Terra arranca a 6 de Julho. Produtos biológicos, mel e enchidos
Próximo O Apelo de Tartu para um estilo de vida saudável tem produzido resultados concretos para os cidadãos da UE

Artigos relacionados

Nacional

Laboratório para gestão da floresta e dos fogos abre mais de 20 vagas

A instalar-se na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, laboratório vai ter pelo menos 25 elementos na fase de arranque.
O laboratório colaborativo para a gestão integrada da floresta e fogo (CoLAB ForestWISE), […]

Últimas

A utilização de plantas autóctones em infraestruturas ecológicas

Foi-nos colocada uma questão: numa exploração em modo de produção biológico que plantas escolher para integrar um espaço que sirva de abrigo […]

Nacional

Arcebispo de Évora receia “dimensão catastrófica do interior”

O arcebispo de Évora pediu esta quarta-feira um “tratamento específico positivo” para o interior que não quer ser “considerado como um peso, […]