Moçambique tem linha de crédito de 886 mil euros para impulsionar produção de caju

[Fonte: Agricultura e Mar]

O Governo de Moçambique quer impulsionar a produção de caju voltar à produção de castanha de caju que se registava na década de 1970, em apenas cinco anos. Quem o diz é o director nacional do Instituto Nacional do Caju (Incaju), Ilídio Bande.

Em declarações ao jornal moçambicano O País, Ilídio Bande explicou que há fundos disponibilizados pela Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) bem como uma linha de crédito de 60 milhões de meticais (cerca de 886 mil euros) para produtores, o que permitirá fomentar a produção comercial de caju.

Produção a crescer

A produção comercializada da castanha de caju aumentou de cerca de 80 mil toneladas nos anos 2014 e 2015 para cerca de 142 mil toneladas na campanha 2018/2019, tendo o director nacional do Incaju afirmado que a distribuição aos produtores de novas mudas registada na última década irá ter um efeito positivo na produção.

Ilídio Bande salientou que, além da produção novas mudas para substituir árvores em fim de vida ou doentes, “estamos a pulverizar anualmente contra pragas e doenças cerca de 5,5 milhões de cajueiros.”

O país dispõe de 17 unidades fabris para o processamento da castanha de caju com capacidade para processar 105 mil toneladas, tendo em 2018 sido processadas nessas unidades pelo menos 60 mil toneladas.

Voltar a liderar a produção?

Moçambique foi um dos grandes produtores mundiais de castanha de caju até à década de 1970, com produções históricas a rondar as 200 mil toneladas, particularmente centradas na zona Norte do país, sendo de destacar a província de Nampula.

Após a independência do país, em 1975, assistiu-se a uma crise profunda no sector, com as nacionalizações a levarem ao encerramento de muitas fábricas de processamento a cada vez maior escassez de matéria-prima devido ao envelhecimento do cajual, explica o portal Macauhub.

Agricultura e Mar Actual

Comente este artigo

O artigo Moçambique tem linha de crédito de 886 mil euros para impulsionar produção de caju foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Anterior Syngenta lança Affirm Opti - nova solução para controlo de lepidópteros em fruticultura
Próximo Incêndios: Onze municípios de quatro distritos em risco máximo

Artigos relacionados

Eventos

XXXIX Reunião de Primavera da Sociedade Portuguesa de Pastagens e Forragens – 3 e 4 de Maio 2018 – Ponte de Lima

A XXXIX Reunião de Primavera da Sociedade Portuguesa de Pastagens e Forragens (SPPF) – divulga o programa  subordinado ao tema “Forragens e Pastagens no Noroeste Atlântico.”, que se realizará a  3 e 4 de Maio de 2018, em Ponte de Lima.

Comente este artigo
#wpdevar_comment_4 span,#wpdevar_comment_4 iframe{width:100% !important;} […]

Nacional

Syngenta lança Affirm Opti, solução para controlo de lepidópteros em fruticultura

[Fonte: Agricultura e Mar]
O lançamento do Affirm Opti, da Syngenta, decorreu a 6 de Junho no pólo de Alcobaça do INIAV — Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, com a presença de técnicos de organizações de produtores e da distribuição, […]

Últimas

Nova unidade industrial vai criar 183 postos de trabalho

[Fonte: Dinheiro Vivo – empresas]
A construção de uma unidade de transformação de cenouras pequenas para exportação em Almeirim vai criar 183 postos de trabalho. O projeto, resultante de um investimento de 50 milhões de euros, integra-se na estratégia municipal de afirmação agroalimentar do concelho. […]