Ministros da Agricultura da UE prepararam início do trio de presidências

Ministros da Agricultura da UE prepararam início do trio de presidências

Os ministros da Agricultura da União Europeia fizeram hoje um balanço do primeiro semestre e discutiram as prioridades para a nova presidência alemã do Conselho, que assinala o início do trio de presidências que Portugal integra.

Na última reunião de ministros da Agricultura e Pescas sob presidência da Croácia, os 27 fizeram um balanço dos progressos realizados na reforma da Política Agrícola Comum (PAC), com Portugal a concordar com a presidência croata de que os avanços foram significativos, apesar do contexto difícil provocado pela pandemia da covid-19, que levou a que a maior parte dos trabalhos fossem realizados por videoconferência, como voltou a suceder com a reunião de hoje.

Segundo a ministra croata da Agricultura, “os progressos alcançados na reforma da PAC são consideráveis, para mais atendendo às circunstâncias extremamente difíceis em que a presidência croata e os Estados-membros tiveram de trabalhar para garantir que não se desperdiçasse tempo precioso”.

“Além disso, fomos capazes de reagir rapidamente aos desafios relacionados com a covid-19 e de adotar medidas para assegurar a disponibilidade de alimentos em toda a UE e para prestar apoio aos agricultores, pescadores e produtores aquicultores mais afetados pela crise”, acrescentou.

Na sua intervenção, a ministra portuguesa, Maria do Céu Albuquerque, “sublinhou os progressos alcançados e a expectativa da conclusão das negociações do quadro financeiro plurianual, essenciais para a conclusão das negociações da reforma da PAC“, indica uma nota divulgada pelo seu Ministério.

Além do balanço do primeiro semestre, os 27 discutiram já “os domínios em que é necessário mais trabalho” no segundo, tendo Maria do Céu Albuquerque defendido que deve ser dada particular atenção a questões como “a simplificação do regime da pequena agricultura, a clarificação e equidade das medidas agroambientais e o apoio à organização da produção”.

Já a ministra alemã, Júlia Klöchner, que presidirá à próxima reunião, destacou entre importantes desafios pela frente a redução da utilização dos pesticidas e dos fertilizantes, a estratégia “Do Prado ao Prato”, recentemente apresentada pela Comissão Europeia, a conservação e a biodiversidade, a garantia do bem-estar animal e a ligação fundamental à nutrição.

A Alemanha assume já na quarta-feira a presidência semestral do Conselho da UE, dando arranque ao trio de presidências formado por Portugal, que sucederá a Berlim em 01 de janeiro de 2021, e Eslovénia, no segundo semestre do próximo ano.

O artigo foi publicado originalmente em Notícias ao Minuto.

Comente este artigo
Anterior Incêndios rurais e violência doméstica nas prioridades da proposta de lei de política criminal
Próximo João Ponte: Modelo de ajudas do POSEI tem impulsionado o crescimento da agricultura nos Açores

Artigos relacionados

Nacional

Água reciclada ganha mais volume na agricultura

As alterações ambientais são cada vez menos um conceito abstrato, com os principais agentes nacionais e internacionais a procurarem desenvolver respostas concretas de combate e minimização dos efeitos nefastos. […]

Nacional

Aspoc e Arhesp dinamizam acções de formação profissional na restauração e talhos

A ASPOC – Associação Portuguesa de Cunicultura e a AHRESP – Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, no âmbito da  […]

Últimas

Conheci muitos vegans no pós-guerra – Manuel Chaveiro Soares

Recentemente descrevi as práticas adoptadas nas duas últimas décadas na Herdade da Daroeira no que concerne à economia circular […]