Ministro do Ambiente defende pré-fabricados como solução para imigrantes em Odemira

Ministro do Ambiente defende pré-fabricados como solução para imigrantes em Odemira

O ministro do Ambiente e Ação Climática defendeu que os pré-fabricados autorizados pelo Governo para alojar trabalhadores imigrantes em Odemira podem ser uma solução “mais do que provisória” para as más condições que estes têm atualmente.

“Eu percebo que digam ‘contentores’, mas, objetivamente, aquelas construções provisórias são pré-fabricados com muito melhores condições do que as que existem nas casas de alvenaria sobreocupadas e sem condições” em que vivem trabalhadores contratados para trabalhar em explorações hortofrutícolas, disse João Pedro Matos Fernandes.

“Mais do que provisória, aquela pode ser uma solução muito melhor [para trabalhadores ocasionais] do que muitas outras com que nos temos confrontado”, afirmou na Comissão Parlamentar de Ambiente, Energia e Ordenamento do Território, onde vários deputados o questionaram sobre o papel do Ministério do Ambiente na regulação daquelas explorações de agricultura intensiva.

Em 2019, uma resolução do Conselho de Ministros determinava que poderiam ser colocadas “instalações de alojamento temporário amovíveis” (IATA) na área de Aproveitamento Hidroagrícola do Mira para “acolher trabalhadores agrícolas temporários”, que passariam a ser equiparadas a “estruturas complementares à atividade agrícola”.

Matos Fernandes considerou que “o que aconteceu de mal depois de 2019 em Odemira” foi que “as tão criticadas IATA não foram construídas”.

O resultado, e “aqui é que esteve o falhanço”, foi que muitos trabalhadores acabaram a viver em casas sobrelotadas.

As freguesias de Longueira-Almograve e São Teotónio, no concelho de Odemira, estão em cerca sanitária desde 30 de abril por causa da elevada incidência de covid-19 entre os imigrantes que trabalham na agricultura na região.

Entretanto, esta tarde o Presidente da República disse que foi informado pelo primeiro-ministro que seria levantada a cerca sanitária ainda hoje.

Os casos detetados na pandemia entre os imigrantes que trabalham na agricultura denunciaram as condições desumanas em que vivem.

Após a cerca sanitária, o Governo determinou a requisição civil do empreendimento Zmar, em Odemira, para alojar pessoas em confinamento obrigatório ou permitir o seu “isolamento profilático”, tendo os moradores apresentado uma providência cautelar que foi aceite pelo tribunal.

Entretanto, 49 imigrantes que trabalham na agricultura na região foram realojados no Zmar (21) e na Pousada da Juventude de Almograve (28), numa operação que decorreu de madrugada quinta-feira e que alguns acusam de ter sido feita com recurso a uso excessivo de força.

No domingo, 23 dos 49 trabalhadores agrícolas imigrantes que se encontravam no complexo turístico Zmar e na Pousada da Juventude de Almograve foram realojados em residências disponibilizadas por 12 empresas agrícolas.

O Governo já apresentou a contestação à providência cautelar contra a requisição civil apresentada por moradores do empreendimento Zmar, alegando interesse público, segundo uma informação do executivo.

Comente este artigo
Anterior Concurso Internacional de Azeites - Prémio CA Ovibeja: Portugal arrecada primeiros prémios de Frutado Maduro e Verde Ligeiro
Próximo Costa anuncia fim da cerca sanitária nas duas freguesias do concelho de Odemira

Artigos relacionados

Dossiers

Oferta de emprego – Técnico Agrícola de Balcão Fitofarmacêutico – Engenheiro Agrónomo – Ponte de Lima

A Agriloja é a maior rede nacional de lojas de livre serviço para animais e plantas, que apresenta soluções para os clientes […]

Sugeridas

Ataque ao olival é infundado e puramente ideológico. Eis porquê – Pedro Lopes

Se o Alqueva multiplicou por dez a riqueza da região do Alentejo, o olival e a produção de azeite não podem ser dissociados deste contributo. […]

Nacional

Cristovão Ferreira conquista Prémio de Melhor Jovem Agricultor

O vencedor da 8ª edição do Concurso Nacional de Jovens Agricultores, que premeia o melhor projeto de investimento jovem, é o Cristóvão Filipe da Silva Ferreira, jovem agricultor de 35 anos e […]