Melhor Azeite da Região Demarcada do Douro é produzido na Quinta da Pacheca

Melhor Azeite da Região Demarcada do Douro é produzido na Quinta da Pacheca

Quinta da Pacheca Premium foi a escolha do júri para melhor azeite na categoria ‘Região Demarcada do Douro’ no III Concurso de Azeites de Trás-os-Montes e Alto Douro. A excelência do trabalho desenvolvido pela equipa do produtor duriense foi ainda distinguida, entre 77 azeites a concurso, com a primeira Medalha de Ouro na categoria ‘Frutado Maduro’, depois de nas edições anteriores ter sido galardoada com a Medalha de Prata.

Para o director de produção da Quinta da Pacheca, Hugo Fonseca, as distinções agora recebidas refletem “o excelente aproveitamento que tem sido feito de um terroir muito próprio no Douro, onde o Inverno rigoroso combinado com um Verão muito quente contribuem para a produção de uma azeitona de qualidade superior”.

Nas notas de prova deste Azeite Premium Quinta da Pacheca destaca-se a presença dos aromas típicos do Douro, onde sobressaem notas de rosmaninho, amêndoa e cacau, assim como um volume de boca, persistência com um ligeiro picante. Pode ser encontrado nas melhores garrafeiras e lojas gourmet do País, estando também muito direcionado para a exportação, designadamente em países como França, Dinamarca, Bélgica, República Checa ou China.

Para os administradores da Quinta da Pacheca, Maria do Céu Gonçalves, Paulo Pereira e Álvaro Lopes, “estas distinções vêm coroar o trabalho desenvolvido pela nossa equipa. É a confirmação de que há uma evolução na melhoria de um produto de excelência da nossa região e que se tem vindo a afirmar, cada vez mais, no catálogo da Quinta da Pacheca, conquistando apreciadores não só em Portugal, mas em todo o mundo”, salientam.

Com menos de uma década de produção, a Quinta da Pacheca tem apostado na plantação de dezenas de oliveiras, ao mesmo tempo que promoveu a recuperação de inúmeras árvores espalhadas pela propriedade, numa aposta que vem sendo coroada de êxito como os prémios agora recebidos confirmam.

O artigo foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Comente este artigo
Anterior Drones da Forças Armadas detetam dois focos de incêndios florestais na ilha da Madeira
Próximo Development of organic production in the EU: 2021-2027 action plan

Artigos relacionados

Últimas

Estado condenado por discriminar Mação no acesso a fundos europeus

Mação teve a maior área ardida (28 mil hectares) nos incêndios de 2017.

A juíza do Tribunal de Leiria, Ana Reina Couto, […]

Nacional

Lidl e Portugal Fresh exportam 15 mil toneladas de frutas e legumes para a Europa

O Lidl Portugal e a Portugal Fresh apresentaram em Berlim, no âmbito da Fruit Logistica, a maior feira de frutas e legumes do Mundo, […]

Nacional

Habilitação de estabelecimentos que queiram exportar porco para China fica a cargo da Direção-Geral de Alimentação e Veterinária

“Foi esta semana transmitido à Direção-Geral de Alimentação e Veterinária que a autoridade competente chinesa GACC, a General Administration of Customs of China, […]