Laranjas do Algarve ‘falam’ alemão. Lidl começa a exportar para este mercado

Laranjas do Algarve ‘falam’ alemão. Lidl começa a exportar para este mercado

Nos últimos 5 anos, o Lidl comprou 41,5 mil toneladas de citrinos certificados IGP, sendo um dos principais compradores deste tipo de produto.

As laranjas e citrinos do Algarve são a nova exportação do Lidl Portugal para as lojas da cadeia na Alemanha, adiantou Pierre Silva, diretor de Frutas & Legumes do Lidl Portugal, ao Dinheiro Vivo. Desde ontem que há citrinos algarvios a ‘falar’ alemão nas lojas do retalhista alimentar.

A entrada dos citrinos algarvios na rota de exportação da cadeia alimentar há muito vinha a ser estudada. Na edição do ano passado da Fruit Logistica, a maior feira de fruta e legumes em Berlim, o Lidl admitia mesmo que estava a analisar introduzir quatro novos produtos hortofrutícolas no lote dos comprados aos produtores nacionais e enviados para as lojas da cadeia nos vários mercados onde está presente.

Atualmente, de Portugal seguem para o mercado externo frutos como pera-rocha, frutos vermelhos ou maçã de Alcobaça. Só em 2018, a cadeia colocou 15 mil toneladas de frutas e legumes nacionais (+13%) em supermercados Lidl na Alemanha, Áustria, Espanha, Irlanda, Luxemburgo, Reino Unido e Polónia.

Esta quarta-feira, em Berlim, o Lidl, um dos parceiros da Portugal Fresh na exportação, vai anunciar os valores de exportação de 2019. A Alemanha, onde a cadeia tem um parque a rondar as 3 mil lojas, é o principal mercado de exportação.

Nos últimos cinco anos, o Lidl comprou 41,5 mil toneladas de citrinos certificados IGP (indicação geográfica protegida), sendo um dos principais compradores deste tipo de produto na região.

“Neste momento trabalhamos o mercado nacional com a Cacial. É um parceiro muito importante não só na laranja mas também na clementina e no limão”, precisava Pierre Silva, diretor de compras de frutas e legumes do Lidl Portugal, em junho do ano passado ao Dinheiro Vivo.

É a região norte que mais consome os citrinos do Algarve, responsável pelo consumo de 35% das 41,5 mil toneladas de citrinos compradas à Cacial nos últimos cinco anos.

O artigo foi publicado originalmente em Dinheiro Vivo.

Comente este artigo
Anterior OLEIROS – Proprietários rendidos ao fogo controlado
Próximo CAP quer clarificar modelo de gestão do Alqueva

Artigos relacionados

Últimas

Scientists speed up the evolution of yeast to create tastier and healthier alcohol

‘All kinds of fermentation beverages start out with just some sugar solution,’ said Professor Ursula Bond, a molecular biologist at Trinity College Dublin, […]

Nacional

III Conferência iPlanta vai ser em Portugal – de 27 de fevereiro a 1 de março

O CiB – Centro de Informação de Biotecnologia) e o ITQB NOVA estão a organizar a 3ª conferência anual iPlanta, que se realizará entre 27 de fevereiro e 1 de março no Auditório do ITQB NOVA, […]

Últimas

FMC Agricultural Solutions reforça presença em Portugal

Teve lugar neste mês a apresentação oficial da Servagronis – Produtos para a Agricultura, Lda, como novo distribuidor da FMC Agricultural Solutions para Portugal. […]