João Ponte: POSEI tem potenciado o crescimento do sector agrícola nos Açores

João Ponte: POSEI tem potenciado o crescimento do sector agrícola nos Açores

O secretário Regional da Agricultura e Florestas afirmou que o programa POSEI tem potenciado o crescimento do sector agrícola nos Açores, sendo um instrumento estratégico fundamental para o desenvolvimento da agricultura, para o crescimento das produções e dos rendimentos, para garantir o abastecimento do mercado interno, para a redução de importações e para reforçar a capacidade exportadora.

“Em apenas dois anos, passámos de 1.400 para 2.400 toneladas na produção de banana e, em quatro anos, a área afecta à diversificação agrícola cresceu 30%. São bons exemplos da evolução da agricultura e do contributo do POSEI nesse caminho que estamos a construir”, referiu João Ponte, que hoje visitou as obras de ampliação e modernização da Frutaçor e reuniu com a direcção da Cooperativa Agrícola Açoreana de Horto-Fruticultores.

João Ponte garantiu que a Região não vai abdicar de lutar pelo reforço da dotação do POSEI, de modo a auxiliar o sector a reforçar o valor das ajudas e poder continuar a dar resposta aos desafios futuros ao nível do crescimento das produções.

“Uma coisa é desejarmos mais dotação no POSEI, outra, completamente diferente, é confundir os agricultores deliberadamente”, frisou João Ponte, rejeitando liminarmente que o défice no POSEI seja de 10 milhões de euros e que existam medidas em que o agricultor recebe menos 30% do que estava previsto.

PRORURAL+

O secretário Regional da Agricultura e Florestas destacou também a importância do programa PRORURAL+ para o desenvolvimento da agricultura no arquipélago, revelando que, só na actual legislatura, já foram aprovadas 250 candidaturas à primeira instalação de jovens agricultores, sendo que, só no último aviso, mais de 70 jovens candidataram-se a apoios à primeira instalação.

“Estes indicadores permitem duas leituras que gostaria de destacar, uma primeira tem a ver com o facto da agricultura continuar a ser atractiva para os jovens e a segunda é o de transmitir a confiança destes no futuro da agricultura nos Açores”, disse o governante.

Para reforçar estas duas componentes, João Ponte recordou que já existe nos Açores o programa Jovem Agricultor, que, na sua implementação, contou também com os contributos das organizações de jovens agricultores, integrando um conjunto de medidas que permitirá melhorar a qualificação, minimizar constrangimentos no acesso ao crédito bancário, reforçar o apoio à primeira instalação, para além da discriminação positiva de medidas de apoio já existentes.

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior Live-stream - Biodiversidade do Montado de Sobro – como monitorizar e manter
Próximo IFAP: Pagamentos maio 2020

Artigos relacionados

Últimas

Pedido Único 2021 – Prorrogação do prazo de candidaturas

Para procurar fazer face a eventuais constrangimentos decorrentes da Pandemia de COVID-19, o Conselho Diretivo do IFAP deliberou prorrogar o período regular de apresentação […]

Nacional

Intervenção da DRAPLVT em pomares com fogo bacteriano

No âmbito dos trabalhos desenvolvidos para aplicação das medidas fitossanitárias, de controlo de pragas e doenças na região de Lisboa e Vale do Tejo, […]

Últimas

Boas práticas agrícolas para acabar com o trabalho infantil

Desde 2011 que a Philip Morris Internacional tem vindo a implementar o Código de Boas Práticas Agrícolas com o intuito de eliminar o trabalho infantil nas plantações de tabaco e promover condições dignas de trabalho e habitabilidade para os seus agricultores. […]