Jerónimo Martins multada na Polónia em 163 milhões por “desonestidade profunda e desrespeito pelos concorrentes”

Jerónimo Martins multada na Polónia em 163 milhões por “desonestidade profunda e desrespeito pelos concorrentes”

Autoridade da concorrência castiga a retalhista portuguesa por “demonstrar uma desonestidade profunda” pelas outras empresas. A multa é pesada: 163 milhões de euros. Empresa diz que vai para tribunal.

A retalhista portuguesa Jerónimo Martins, através da unidade polaca Biedronka, “demonstrou uma desonestidade profunda e um desrespeito” pelas outras empresas e foi, por isso, multada em 723 milhões de zlotys (equivalente a 163 milhões de euros) pela autoridade da concorrência na Polónia. Mais de 200 produtores agrícolas terão sido prejudicados por uma prática que, segundo o regulador, passava pela “imposição de descontos de forma arbitrária” e “injusta” já depois de os produtos terem sido entregues à distribuidora. A Jerónimo Martins indicou, entretanto, ao Observador, que vai recorrer desta decisão “tendenciosa, injusta e imerecida”.

Está disponível no site do regulador polaco a acusação que é, segundo a entidade, a maior multa de sempre num caso em que uma empresa abusa da sua posição contratual. Explica-se na nota que é normal as retalhistas receberem descontos por parte dos fornecedores, no âmbito de um contrato entre as partes – o que é “injusto” é ser a distribuidora, a posteriori, a dar conta de que seriam aplicados descontos de forma unilateral (conforme a forma como os produtos foram, ou não, escoados das suas lojas).

Isso aconteceu no período em análise – 2018, 2019 e 2020 – segundo o regulador, e terá permitido que a Biedronka ganhasse 600 milhões de zlotys (135 milhões de euros) de forma injusta.

O artigo foi publicado originalmente em Observador.

Comente este artigo
Anterior V21Rural a caminha da reta final: 14 Empreendedores levam sonhos bem a sério e dão passo para tirar projetos do papel
Próximo João Rui Ferreira: Cortiça quer “1500 milhões de exportações” até 2030

Artigos relacionados

Comunicados

Governo acolhe proposta do CDS sobre financiamento de projetos do PDR2020 na área da viticultura

A lei do OE2017 (Orçamento do Estado) previa a transferência de receitas próprias do IVV, até ao limite de €2.000.000, para aplicação no PDR 2020 em projetos de investimento ligados ao setor vitivinícola.

Cotações PT

Cotações – Azeite – Informação Semanal – 5 a 11 Agosto 2019

Análise SIMA – Sistema de Informação de Mercados Agrícolas
Conjuntura semanal
Na semana em análise, foram novamente registadas cotações a granel na área de mercado Trás-os-Montes: a cotação mais frequente do azeite virgem extra caiu para 2,32€/kg (-0,18€/kg, […]

Nacional

Comissão para os Mercados e Produtos Florestais deve ser reactivada, defende ex-secretário de Estado

Amândio Torres, titular da pasta das florestas de 2015 a 2017, diz que a comissão, criada em Abril de 2017 e que cessou actividade no ano seguinte, “desenvolvia tanto trabalho que é difícil de engolir […]