Iogurtes DaVaca reconhecidos como artesanais

Iogurtes DaVaca reconhecidos como artesanais

[Fonte: Voz do Campo]

O produtor dos iogurtes “DaVaca Laticinios do Monte” – empresa APECO Agro-Pecuária Coelheirinhas, Lda. – sedeada na Herdade das Coelheirinhas em Elvas, recebeu este mês a designação estatuto de “unidade produtiva artesanal”.

Depois de ter iniciado a aventura da produção de iogurtes em 2014, a empresa recebeu agora o reconhecimento de fabricar um produto artesanal pelas características de produção de excelência.

Em comunicado a empresa explica que “a elaboração de iogurtes distingue-se pelo uso de leite integral da própria vacaria sem adição de natas ou leite em pó. O processo de fabrico é em grande parte manual e a combinação com compotas típicas resulta num iogurte com faz lembrar aos iogurtes de antigamente”.

E é na mesma nota que os empresários demonstram a satisfação com que podem anunciar que “os iogurtes DaVaca são agora formalmente reconhecidos como artesanais, denominação que reflete perfeitamente o carácter único deles!”.

Comente este artigo

O artigo Iogurtes DaVaca reconhecidos como artesanais foi publicado originalmente em Voz do Campo.

Anterior Investigação estuda qualidade e benefícios de alimentos portugueses e espanhóis
Próximo Touro Brangus impressiona pecuaristas brasileiros e argentinos

Artigos relacionados

Nacional

Ministro da Agricultura preocupado com “espetro de seca” mas sem comprometer ano agrícola

[Fonte: Gazeta Rural]

O ministro da Agricultura manifestou-se preocupado com o “espetro de seca” […]

Últimas

Cortes de 7% na Política de Coesão estão “numa espécie de congelador”. Só haverá evoluções com a próxima Comissão

[Fonte: ECO – fundos comunitários]

Perante a inexistência de condições políticas ao mais alto nível, que se prendem com o desfecho do Brexit e de muitas eleições que estão por efetivar no contexto europeu, […]

Nacional

Fito-Entrevista a José Miguel Mulet no âmbito do Fórum Smart Farm 2019

[Fonte: Anipla – fitoentrevista]

1. Quais os maiores desafios em combater mitos e “notícias falsas” numa época tão disponível à (des)informação? […]