INIAV recebe debate sobre gestão cinegética, caça e biodiversidade

O secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas, preside amanhã, 28 de Junho,a partir das 10 horas, à abertura das Sessões Temáticas da Cimeira da Fauna e Gestão Cinegética, nas instalações do INIAV – Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, em Oeiras.

Trata-se de uma iniciativa do Centro de Competências para o Estudo, Gestão e Sustentabilidade das Espécies Cinegéticas e Biodiversidade.

A Cimeira da Fauna e Gestão Cinegética é dedicada à partilha e transferência de conhecimento e inovação no domínio das espécies silvestres, gestão cinegética, caça e biodiversidade.

Caça sustentável

O Centro de Competências para o Estudo, Gestão e Sustentabilidade das Espécies Cinegéticas e Biodiversidade foi criado a 6 de Maio de 2018, em Santarém, com o objectivo de promover o desenvolvimento sócio-económico da caça, de uma forma sustentável.

Este Centro de Competências visa o estudo da exploração sustentada dos recursos cinegéticos e do restabelecimento do equilíbrio ecológico no território nacional, estimulando a conservação da natureza e a protecção da biodiversidade, bem como o desenvolvimento rural e a valorização dos produtos da caça.

Conservação da vida selvagem

O Centro visa ainda demonstrar o papel construtivo que a caça sustentável e os caçadores desempenham na conservação da vida selvagem, na gestão do mundo rural e na preservação da biodiversidade.

Outra das suas funções será gerar e aprofundar o conhecimento científico sobre a biologia das espécies cinegéticas e realizar estudos da dinâmica das respectivas populações e de epidemiovigilância das mesmas.

Parceiros

Os parceiros nucleares do Centro são o INIAV, o Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), a Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), a Associação Nacional de Proprietários Rurais, Gestão Cinegética e Biodiversidade (ANPC), a Confederação Nacional dos Caçadores Portugueses (CNCP), a Federação Portuguesa de Caça (FENCAÇA), o Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (CIBIO) da Universidade do Porto/ Rede Nacional de Investigação em Biodiversidade e Biologia Evolutiva (InBIO), o Instituto de Biologia Experimental e Tecnológica (iBET), a Ordem dos Médicos Veterinários e a Câmara Municipal de Mértola.

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior Governo avança com estudo de viabilidade para projeto de regadio no Tejo
Próximo Nasce o Smart Farm CoLab, laboratório colaborativo focado na agricultura

Artigos relacionados

Nacional

Perto de uma centena de concelhos de 15 distritos em risco máximo de incêndio

Cerca de uma centena de concelhos de 15 distritos de Portugal continental apresentam esta quinta-feira risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). […]

Últimas

Elvas melhora genética das plantas para responder às alterações climáticas

[Fonte: Diário do Alentejo] Adaptar plantas às alterações climáticas, melhorando a sua genética, é o trabalho que se promove em Elvas, […]

Últimas

Candidaturas a sistemas de incentivos nos Açores ascendem a 500 milhões de euros

As candidaturas a sistemas de incentivos às empresas nos Açores já representaram um investimento privado superior a 500 milhões de euros, […]