Incêndios: GNR reforça patrulhamento para a prevenção de fogos

Incêndios: GNR reforça patrulhamento para a prevenção de fogos

Assim, a GNR, através das suas valências de Proteção da Natureza e Ambiente, territorial, investigação criminal, cavalaria, bem como do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS), vai intensificar a vigilância das zonas de maior risco de incêndios.

Segundo adianta a GNR em comunicado, este ano, até 01 de setembro e no âmbito da Defesa da Floresta Contra Incêndios, a GNR realizou 6.128 ações de sensibilização, junto de mais de 121 mil pessoas, para alertar para a importância de um conjunto de procedimentos preventivos a adotar, nomeadamente sobre o uso do fogo, a limpeza e remoção de matos e a manutenção das faixas de gestão de combustível.

O objetivo – indica a GNR – é garantir a segurança das populações e do seu património e salvaguardar o tecido florestal nacional.

Neste período e no âmbito da prevenção de incêndios, a GNR efetuou mais de 41.500 patrulhas e percorreu cerca de três milhões de quilómetros, tendo detido 47 pessoas pelo crime de incêndio florestal, identificado 455 pessoas por suspeita de terem praticado o crime de incêndio florestal e instaurado 5.360 autos de contraordenação por falta de gestão de combustível (limpeza de terrenos).

Registou ainda 4.520 crimes de incêndio florestal e instaurou 593 autos de notícia por contraordenação por incumprimentos das normas para a realização de queimas e queimadas.

A GNR lembra que, no período crítico de calor, é necessário continuar a adotar as medidas e ações especiais de prevenção de incêndios florestais, pelo que a GNR irá sensibilizar a população para as proibições nos espaços florestais e agrícolas, nomeadamente fazer queimas ou queimadas, fumar, fazer lume ou fogueiras, lançar foguetes e balões de mecha acesa e fumigar ou desinfestar apiários, salvo se os fumigadores estiverem equipados com dispositivos de retenção de faúlhas;

Outras proibições incidem sobre a circulação de tratores, máquinas e veículos de transporte pesados que não possuam extintor, sistema de retenção de faúlhas ou faíscas e tapa chamas nos tubos de escape ou chaminés.

Atendendo aos perigos de incêndio, a GNR aconselha ainda população a que, em caso de incêndio, ligue de imediato para o 112, transmitindo de forma sucinta e precisa a localização, a dimensão estimada e a forma de acesso mais rápida ao local;

Aconselha também a população a contactar as autoridades se notar a presença de pessoas com comportamentos de risco.

A GNR disponibiliza igualmente a Linha SOS Ambiente e Território (808 200 520), onde as pessoas podem esclarecer as suas dúvidas sobre medidas de proteção a adotar e prazos para cumprir na gestão de combustível, assim como denunciar situações que envolvam risco de incêndio.

O artigo foi publicado originalmente em SAPO 24.

Comente este artigo
Anterior Sessão de Lançamento Projecto ValorCer - 4 de setembro - Coruche
Próximo Quais os desafios da nova fruticultura?

Artigos relacionados

Nacional

Vinho. Medidas de crise com 6,8 milhões de euros por atribuir

Números preliminares das candidaturas mostram que os vitivinicultores nacionais se propõem destilar 12 milhões de litros, recebendo, por isso, 8,6 milhões de euros, e armazenar mais de 24 […]

Sugeridas

Oferta de emprego- Trabalhador Agrícola (M/F) – Figueira da Foz

A BERRY.PT tem 2 vagas disponíveis no âmbito de Estágio Profissional – IEFP.

Últimas

Alho da Graciosa passa a estar protegido como Indicação Geográfica (IG)

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas revelou que o alho da Graciosa passa a integrar a lista de produtos nacionais protegidos como […]