Incêndios: 600 operacionais combatem incêndio em Castro Marim

Incêndios: 600 operacionais combatem incêndio em Castro Marim

Seiscentos bombeiros estavam às 07:45 a combater o incêndio que deflagrou em Castro Marim dificultado pelos ventos fortes e que obrigou à retirada de várias pessoas ao longo da noite por precaução, segundo a proteção civil.

Fonte do comando regional do Algarve disse à Lusa, cerca das 07:45, que o fogo tinha uma frente ativa a sul e um flanco a sudoeste.

“Tal como previsto na segunda-feira, continua o vento forte. Durante a noite foram deslocadas várias pessoas por precaução, não havendo feridos a registar”, disse.

A mesma fonte adiantou que até às 08:30 serão acionados meios aéreos para ajudar a combater o incêndio.

ÀS 07:45, o incêndio, cujo alerta foi dado cerca das 01:00 de segunda-feira, mobilizava 600 operacionais, com o apoio de 205 veículos.

Fonte da proteção civil tinha dito anteriormente à Lusa que tinham sido deslocadas durante a madrugada 58 pessoas para as zonas de apoio à população”, em “povoados dispersos” e em “diferentes pontos do teatro de operações”.

Além destas, “houve mais pessoas que se deslocaram pelos seus próprios meios para casa de familiares e amigos”, acrescentou a fonte do comando regional do Algarve.

Foram criadas duas zonas de apoio à população, no Azinhal, Castro Marim, e em Tavira.

Na segunda-feira à noite, o fogo já tinha entrado nos concelhos de Tavira e Vila Real de Santo António, sendo a prioridade dos bombeiros travar a expansão a sul, onde existe mais população.

O incêndio deflagrou à 01:05 de segunda-feira e chegou a ser dado como dominado pelas 10:20, mas o “quadro meteorológico severo”, com altas temperaturas e vento, estiveram na origem de uma “reativação muito forte, em pleno período crítico do dia, junto à cabeça/flanco direito do incêndio original, e este ficou rapidamente fora da capacidade de extinção”, explicou o comandante operacional regional de Faro, Richard Marques.

O fogo obrigou na segunda-feira a cortar a A22 entre os nós de Castro Marim e Altura, assim como a Estrada Nacional 125, entre Conceição de Tavira e Vila Nova de Cacela.

A EN 125 foi entretanto reaberta, às 22:37, continuando no entanto com circulação “condicionada”, devido à passagem dos meios de combate ao fogo, segundo o comando regional do Algarve, mantendo-se a A22 encerrada.

Pelas 11:00, as autoridades farão um novo ponto da situação, no Azinhal, no concelho de Castro Marim.

Comente este artigo
Anterior XXII ZOOTEC - Congresso Nacional de Zootecnia - 29 e 30 de outubro
Próximo Politécnico de Viana do Castelo produz insetos para ração de rãs

Artigos relacionados

Nacional

AHM assegura disponibilidade da mão de obra ao setor agrícola

Foi publicada a Resolução do Conselho de Ministros que estabelece um regime especial e transitório aplicável ao Aproveitamento Hidroagrícola do Mira (AHM). […]

Notícias inovação

Laboratórios Colaborativos em Primeiro Encontro Anual

O InnovPlantProtect esteve presente no 1º Encontro Anual de Laboratórios Colaborativos. Realizado pela Agência Nacional de Inovação (ANI) e pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), […]

Eventos

Dia de Campo – InovMilho 2017 – 26 de Setembro 2017 – Coruche

A Associação Nacional de Produtores de Milho e Sorgo (ANPROMIS) está organizar o Dia de Campo que no âmbito do Centro Nacional de Competências das Culturas do Milho e Sorgo “InovMilho”,a decorrer no dia 26 de Setembro, […]