In Loco lança um Guia que desafia os cidadãos a repensar hábitos de consumo alimentar

In Loco lança um Guia que desafia os cidadãos a repensar hábitos de consumo alimentar

“A produção local procura consumidores locais” é o mote lançado pela associação, na semana do lançamento do “Guia para Consumir Local”. Podia ser o título de um anúncio de jornal, mas é na verdade uma forma de despertar para a necessidade de mudança de comportamentos contribuindo, através do consumo alimentar, para a economia local e consequente diminuição da pegada ecológica.

A problemática não é recente. Sabemos que, a cada ano, os recursos anuais do Planeta se esgotam mais cedo e, segundo os cálculos da organização Global Footprint Network, se todos os países consumissem tanto como os valores médios da população portuguesa, este ano teriam findado no passado dia 25 de maio. Assim, a capacidade de regeneração dos recursos da Terra não suporta os estilos de vida dos seus habitantes, pelo que encontramo-nos a viver a crédito, “pedindo emprestado” às gerações futuras.

É na aposta de uma economia circular (da produção ao consumo) que está o caminho para a sustentabilidade. Esse tem sido um investimento da Associação In Loco que, ao longo de vários anos, tem apostado no desenvolvimento de projetos que estimulam a produção e o consumo local, promovendo circuitos curtos agroalimentares. É o caso da iniciativa 100% Local, que incide sobre estas questões, insistindo na ideia de que quer a produção, quer o consumo local, podem fazer a diferença na resolução deste problema global.

A alimentação é o que mais pesa na pegada ecológica de Portugal e é, também, a componente que o consumidor mais facilmente pode alterar. Optar pela compra de produtos locais, frescos e da época, produzidos em modos mais sustentáveis, provenientes de uma agricultura familiar de pequena escala, e privilegiar circuitos curtos agroalimentares que resultam numa maior proximidade entre produtores(as) e consumidores(as), são alguns dos hábitos a adotar.

A opção do consumidor pelos produtos locais surge, sobretudo, do grau de consciência e de informação detidos sobre os sistemas alimentares e da noção adquirida sobre a sua pegada ecológica e o seu impacto. O “Guia para Consumir Local” pretende contribuir para esse propósito, explicando a importância do consumo alimentar em circuitos de proximidade. A publicação informa e apoia na tomada de decisão e de ação pela redução do impacto humano sobre o Planeta, facultando um conjunto de instruções orientadoras para a formação de consumidores(as) conscientes e responsáveis que privilegiam a aquisição de produtos alimentares locais.

O Guia para Consumir Local está disponível para download aqui. Nasce no âmbito da iniciativa 100% Local, cofinanciada pelo NOPLANETB-AMI, pelo Instituto Camões e pela União Europeia.

Adquira-o gratuitamente e contribua para um Planeta mais sustentável através da alimentação!

Notícia enviada pela In Loco, membro da Rede Rural Nacional.

O artigo foi publicado originalmente em Rede Rural Nacional.

Comente este artigo
Anterior CDS quer atualização das tabelas de produtividade e de preços do Seguro de Colheita da Cerejeira, já a partir da campanha de 2021
Próximo ENRD Newsletter - Maio 2020

Artigos relacionados

Nacional

Deputados devem empenhar-se por uma “discriminação positiva” dos Açores

O presidente da Federação Agrícola dos Açores (FAA) defendeu que os deputados açorianos devem empenhar-se por uma “discriminação positiva” nas transferências do Estado, […]

Últimas

Destruição de habitats é a ameaça mais premente à biodiversidade em Portugal

Nuno Forner, da associação ambiental Zero, disse que a destruição de habitats é uma das maiores ameaças, nomeadamente nas zonas costeiras e húmidas, […]

Eventos

Webinar: Biodiversidade do Montado de Sobro – como monitorizar e manter – 29 de maio

O Município de Coruche, entidade líder da EEC PROVERE “Montado de Sobro e Cortiça”, promove amanhã, dia 29, pelas 17h00, em direto via Zoom […]